Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Mineiras a um passo da final

Na abertura das semifinais da Superliga Feminina, Praia e Minas vencem Sesi e Osasco, respectivamente, e se voltarem a ganhar na segunda-feira garantem vaga na grande decisão


postado em 02/04/2019 05:06

Melhor equipe da fase de classificação, o MTC levou um susto no primeiro set, mas virou o jogo com autoridade(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
Melhor equipe da fase de classificação, o MTC levou um susto no primeiro set, mas virou o jogo com autoridade (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)

O sonho de uma final mineira na Superliga Feminina de Vôlei – a primeira da história – está perto de se concretizar. Minas e Praia saíram na frente das equipes paulistas Osasco e Sesi, respectivamente, na primeira partida da série melhor de três das semifinais, e estão a um triunfo da classificação. Na Arena Minas, o MTC venceu por 3 a 1 (24/26, 25/15, 25/17 e 25/13), enquanto a equipe do Triângulo passou com facilidade pelo adversário em Bauru: 3 a 0 (25/15, 25/15 e 25/20). Os times voltam à quadra na segunda-feira, nos mesmos horários de ontem, porém mandos invertidos: o Praia recebe o Sesi às 19h, em Uberlândia, e o Minas vai a Osasco, encarar as donas da casa, às 21h30.

Foi um dia especial no ginásio minas-tenista, que esteve lotado, com 3.358 torcedores. Faltaram 92 para que todos os assentos estivessem ocupados. E foi com a força da torcida que o Minas conseguiu a vitória, de virada. Perdeu o primeiro set e deu a impressão de que tinha ficado abalado. Contudo, partiu para uma reação espetacular, conseguindo placares folgados nas parciais seguintes.

A vitória, da maneira como ocorreu, empolgou as jogadoras. “Perdemos o primeiro set, quando erramos muito. Mas falei para as meninas: “Bora lá. Vamos morder um pedaço de carne. E foi o que fizemos. Fomos com fome ao prato”, conta a meio de rede Mara.

Para a ponteira Natália, largar na frente na série pode acabar sendo determinante na luta pela vaga na final: “Temos a chance de acabar com a série lá, já na segunda-feira. É isso o que queremos e vamos lutar. O Osasco terá a torcida a favor, mas vamos fazer de tudo para superá-las”, disse a jogadora, segunda maior pontuadora do Minas e da partida, com 15 pontos, mesmo total de Mara – elas ficaram atrás apenas de Gabi, que fez 10, cinco de bloqueio, algo raro em sua carreira.

FACILIDADE Já o Praia sobrou em quadra. Passeou diante do Sesi, na casa do adversário, e ficou com a faca e queijo na mão, pois fará os dois próximos jogos em seu ginásio. Se for derrotado na segunda-feira, terá a chance de fechar a série ainda em casa, por ter tido melhor campanha que as paulistas na fase de classificação: foi vice-líder, enquanto o Sesi terminou em terceiro lugar.

Ontem, quatro jogadoras do time do Triângulo se destacaram: a oposta norte-americana Nicol Fawcett, maior pontuadora, com 18 pontos, seguida por três companheiras, a ponteira Fernanda Garay (14) e as meios de rede Fabiana e Carol (10 cada uma)

Segundo o técnico Paulo Coco, o Praia fez uma partida taticamente perfeita: “Nosso time soube fazer o resultado. Jogou e conseguiu impedir que o adversário jogasse. Com um bom saque, dificultamos a recepção delas e, além de uma boa defesa, nosso bloqueio funcionou”.

A oposta Tiffany foi anulada, marcando apenas 10 pontos no jogo, bem abaixo de sua média na competição, que é de 17.

 

Enquanto isso

...Dia de homenagem

A noite também foi de homenagem na Arena Minas. O ex-levantador do clube Mário Marcos, um dos integrantes da Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos de Munique’1972, recebeu uma placa das mãos do presidente do Minas, Ricardo Santiago, em reconhecimento pelos 10 títulos conquistados e serviços prestados ao clube. Mário foi presenteado pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) com uma camisa da Seleção Brasileira com o nome dele. (ID)


Publicidade