Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Gratidão, mas sem trégua

Com histórico pelo time adversário, jogadores de América e Cruzeiro revelam o carinho pelo ex-clube, mas dizem que hoje é dia de honrar o escudo da equipe que agora defendem


postado em 31/03/2019 05:09

"Tenho meu nome marcado como campeão brasileiro, mas hoje eu defendo as cores do América e espero fazer um grande jogo juntamente com a equipe" Paulão, zagueiro americano (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 27/1/19)



Pela terceira vez em sete anos, América e Cruzeiro fazem uma das semifinais do Campeonato Mineiro. E de novo os rivais contarão com jogadores com passagem e até formação do lado adversário. O primeiro jogo valendo vaga na decisão será hoje, às 16h, no Independência, com mando do Coelho. Por ter melhor campanha, a Raposa se classifica com dois empates ou vitória e derrota pela mesma diferença de gols.

Os americanos têm em suas fileiras o experiente zagueiro Paulão, de 33 anos, e que trabalhou na Toca da Raposa II em 2013, tendo sido campeão brasileiro. No Lanna Drumond desde meados do ano passado, ele está especialmente animado depois do gol marcado em outro clássico mineiro, contra o Atlético, no Mineirão, mesmo que a equipe tenha saído derrotada por 3 a 2, tendo sofrido gol já nos acréscimos.

Ele sabe que o Coelho precisará de atenção especial com vários cruzeirenses, mas dois, cujas origens estão no América, merecerão vigilância redobrada: Fred e Rodriguinho. Sobre o centroavante, ele resume a preocupação dos anfitriões: “Temos de ter alerta máximo para não dar espaço para ele finalizar”.

Quanto ao armador, a avaliação se divide entre os elogios e a cautela na marcação. “O Rodriguinho dispensa apresentações, tem seu nome marcado na história do futebol. Está em momento muito feliz no Cruzeiro. Ele tem o faro do gol. Acredito que para ele seja algo especial jogar contra o clube que o revelou”.

Sobre o fato de ter vestido a camisa da Raposa, Paulão relembra com carinho, mas ressalta a defesa do escudo americano. “Enfrentar uma torcida pela qual tenho grande respeito é um sentimento muito bom. Tenho meu nome marcado como campeão brasileiro, algo de suma importância na minha carreira, mas hoje eu defendo as cores do América e espero fazer um grande jogo juntamente com a equipe.”

Pelo lado cruzeirense, a relação com o adversário é ainda maior. O atacante Fred, por exemplo, foi formado nas categorias de base do Coelho, pela qual se destacou, entre outras coisas, por ter feito o gol mais rápido da história da Copa São Paulo de Futebol Júnior (aos 3s, nos 5 a 1 sobre o Vila Nova-GO), só superado no futebol mundial em 2009.

O artilheiro fala com carinho do ex-clube, mas hoje só pensará na vitória do Cruzeiro, aumentando a vantagem nas semifinais. “Clássico é diferente, ainda mais por eu ter uma história no América, que foi meu início. Sou muito grato pelo que o clube fez por mim, me mostrou para o Brasil e para o mundo. Mas vamos com tudo neste domingo. Tenho certeza que será um jogo muito difícil, o América é uma equipe muito boa, competitiva, muito bem organizada em campo. Então, vamos enfrentar uma pedreira no Independência e temos de estar preparados”, afirma ele, que deixou o América há quase 15 anos, justamente para defender o Cruzeiro, e que retornou à Toca da Raposa II em janeiro de 2018.

 

 

Um dos objetivos do atacante é seguir artilheiro da equipe celeste na temporada. Até porque, com sete gols, viu outro ex-americano, Rodriguinho, “colar” nele. O armador chegou a seis gols depois de abrir o placar na vitória por 2 a 0 sobre o Deportivo Lara-VEN, quarta-feira, no Mineirão, pela segunda rodada do Grupo B da Copa Libertadores.

Além do bom momento desde que chegou à Toca da Raposa II, em janeiro, o camisa 23 tem muita história com a camisa do Coelho. Revelado pelo ABC-RN e com passagem pelo Bragantino, ele chamou a atenção depois de boas atuações pelo Coelho, entre 2011 e 2013, quando se transferiu para o Corinthians, pelo qual foi um dos destaques das conquistas dos campeonatos brasileiros de 2015 e 2017.

Com seis gols em oito jogos, ele divide com os companheiros os méritos pela adaptação rápida. E espera, contra o ex-clube, voltar a jogar bem e balançar as redes para ajudar o Cruzeiro.

LIBERTADORES
De olho também na partida de quarta-feira, pela terceira rodada da Copa Libertadores, contra o Emelec-EQU, em Guayaquil, o Cruzeiro pode poupar alguns de seus titulares. A equipe fez treino fechado ontem. Se Rodriguinho for um dos preservados, David está cotado. Na lateral-direita, Edílson poderia dar lugar a Orejuela. Na sexta-feira, ambos foram poupados do treinamento.

ESTRELADA...
RANIEL DE VOLTA

Uma das novidades da equipe celeste hoje será a volta do atacante Raniel. Ele ficará no banco. O jogador estava fora da equipe desde 24 de fevereiro, se recuperando de lesão na parte posterior da coxa direita. Sua última participação havia sido no empate por 1 a 1 com a URT, no Zama Maciel, em Patos de Minas, pela oitava rodada da fase classificatória do Campeonato Mineiro.

FICHA TÉCNICA
América x Cruzeiro

América: Fernando Leal; Ronaldo, Paulão, Diego Jussani e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho (Christian) e Matheusinho; Felipe Azevedo, Júnior Viçosa e Marcelo Toscano
Técnico: Givanildo Oliveira
Cruzeiro: Fábio; Edílson (Orejuela), Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Lucas Romero, Robinho, Rodriguinho (David) e Rafinha (Marquinhos Gabriel); Fred
Técnico: Mano Menezes
Jogo de ida das semifinais do Campeonato Mineiro
Estádio: Independência
Horário: 16h
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique
Assistentes: Bruno Boschilia e Felipe Alan Costa de Oliveira
TV: Pay-per-view
Americanos pendurados: Juninho, Júnior Viçosa e Paulão
Cruzeirenses pendurados: Nenhum
árbitro de vídeo (VAR): Wagner do Nascimento Magalhães
ASSISTENTE DO VAR: Carlos Berkenbrock


Publicidade