Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Festa dentro e fora de campo

Em tarde de comemoração pelo aniversário e com recorde de público do Mineirão em 2019, Atlético derrota o Tupynambás por 3 a 1 e garante sua vaga nas semifinais do Estadual


postado em 25/03/2019 05:06

Atacante Ricardo Oliveira quebrou um jejum pessoal, voltando a balançar as redes depois de quatro partidas, e selou o triunfo atleticano ontem à tarde, no Gigante da Pampulha(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Atacante Ricardo Oliveira quebrou um jejum pessoal, voltando a balançar as redes depois de quatro partidas, e selou o triunfo atleticano ontem à tarde, no Gigante da Pampulha (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)





O domingo do torcedor atleticano começou com música e festa antecipada pelo aniversário de 111 anos do clube (comemorados oficialmente hoje) e terminou com alegria pela conquista da vaga na semifinal do Campeonato Mineiro. Diante do maior público do ano no Mineirão – 46.924 torcedores –, o Galo venceu o Tupynambás por 3 a 1, ontem à tarde, e aguarda o desfecho de América x Caldense, hoje à noite, no Independência, para conhecer seu adversário. Se o Coelho vencer, o alvinegro vai encarar o Boa na próxima fase. Mas se a Caldense ganhar, o oponente será a Veterana.

Tudo foi motivo de festa para os torcedores no Gigante da Pampulha. Até mesmo quando o alto-falante anunciou uma escalação diferente: “Em campo, Froid, Clara, Djonga, Felipe Arco, Pedro, Thiago SKP, Mhris MG, Hot e Coyote.” Era o time de rappers. Eles comandaram o aquecimento para o jogo com uma música especial para o aniversariante, além de entoar o hino do clube e cânticos de torcidas.

Nesse ambiente, a partida começou. A arquibancada empurrou o Atlético, que foi todo para o ataque. Tentou, uma, duas, três, quatro vezes, mas o gol custou a sair. O armador Luan aparecia como destaque – de seus pés saíram boas jogadas para Ricardo Oliveira e Cazares. O uruguaio Terans chegou a acertar a trave esquerda em cobrança de falta.

Só aos 28min, no entanto, a torcida pôde soltar o grito de gol. Depois de receber passe perfeito de Luan, Cazares abriu o placar. Êxtase e alívio no Mineirão.

O Atlético voltou diferente no segundo tempo. Mais concentrado. Aos 16min, veio o segundo gol, novamente com Cazares, o herói da tarde. Com a vantagem de 2 a 0 no placar, um relaxamento perigoso, que acabou por trazer apreensão para os alvinegros. Em uma falta fora da área cometida por Zé Wellison, o árbitro marcou pênalti e o Tupynambás empatou com o experiente Ademílson.

O torcedor, na arquibancada, sentiu o baque. Nilton Martins, de 42, não escondeu a ansiedade pelo fim da partida: “Não é possível que o Galo vai dar esse mole, deixar empatar e vamos sofrer nos pênaltis”. Aí apareceu o experiente Ricardo Oliveira – que já havia mandado uma bola no travessão – para devolver a tranquilidade aos atleticanos. De falta, marcou um golaço. O terceiro do Atlético, aos 38min, selava a classificação e dava prosseguimento à festa, que teve final feliz, com direito a “Parabéns pra você”.

SEGUNDO TEMPO O capitão Réver cobrou dos jogadores ao fim do jogo: “O que a torcida espera da gente é o que fizemos no segundo tempo. Um time objetivo, sabedo o que fazer da bola”.

Já o goleiro Victor destacou a presença da Massa: “É impressionante a fidelidade desta torcida. Nenhuma torcida no Brasil coloca quase 50 mil pessoas num estádio num jogo que não tem grande proporção, por um estadual. Falei isso com meus companheiros antes da partida. Isso mostra o quanto este torcedor é fiel, apaixonado, e o mínimo que a gente podia fazer era deixar nosso melhor em campo”.


Atlético
Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Wellison, Jair (Elias 14 do 2º), Terans (Maicon Bolt 14 do 2º), Cazares e Luan; Ricardo Oliveira
Técnico: Levir Culpi

Tupynambás
Renan Rinaldi; Gustavo Crecci, Adriano, Felipe Gregory e Lucas Hipólito; Marcel, Leo Salino (Guilherme Henrique 34 do 2º), Anderson Santos (Igor Soares 19 do 2º), Matheus Pimenta (Eraldo 34 do 2º; Núbio Flávio e Ademílson
Técnico: Paulo Campos

Quartas de final do Mineiro

Estádio: Mineirão
Gols: Cazares 28 do 1º; Cazares 16, Ademílson 25 e Ricardo Oliveira 38 do 2º
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira
Assistentes: Ricardo Junio de Souza e Magno Arante Lira
Cartão amarelo: Jair e Igor Soares
Cartão vermelho: Vitinho
Presentes: 46.924 torcedores
Renda: R$ 513.148


Publicidade