Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

América tenta repor as energias antes do clássico com a Raposa


postado em 15/02/2019 05:07

Volante Juninho festejou chance de o Coelho poder repor as energias para pegar o Cruzeiro no Horto(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press - 30/11/18)
Volante Juninho festejou chance de o Coelho poder repor as energias para pegar o Cruzeiro no Horto (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press - 30/11/18)


Fatigados e sonolentos. É o que se via nos rostos dos jogadores do América, ontem, no desembarque no Aeroporto de Confins no fim da manhã, depois de cumprirem a terceira e última maratona do mês de fevereiro. Agora, até o fim da fase de classificação do Mineiro, o time fará apenas uma viagem, a Varginha, onde enfrentará o Boa em 23 de fevereiro, pela 8ª rodada. O confronto pela segunda fase da Copa do Brasil, contra o Juventude, em Caxias do Sul, não teve a data definida pela CBF.

O grupo ainda se recuperava dos 1.602 quilômetros de estrada percorridos em uma semana. Primeiro, 778 na ida e volta a Tombos, para o jogo contra o Tombense (vitória por 2 a 1) –, e logo em seguida mais 824 quilômetros, indo e retornando de Patrocínio (empate em 0 a 0 com o Patrocinense).

Por fim, a viagem para a estreia na Copa Brasil, em Boa Vista, Roraima, quando o time garantiu a classificação à segunda fase, empatando por 0 a 0 com o São Raimundo. No total, foram 23 horas de trecho. Se a saída a partir de Belo Horizonte foi mais desgastante (15 horas, via Brasília), a volta em sete horas e 45 minutos não foi nada confortável. Os jogadores deixaram do Estádio Vila Olímpica Roberto Marinho rumo ao aeroporto tão logo acabou o jogo. O embarque à 0h50 para Brasília, uma espera de três horas e 15 minutos, e, enfim, a sequência para Confins, com chegada às 10h51: 11 horas de percurso.

“Dormi apenas três horas no voo de Boa Vista para Brasília. Lá, ficamos andando de um lado para o outro, conversando, para depois embarcar. Ainda bem que não treinaremos hoje (ontem), pois ninguém aguentaria. Quer saber? Estou doido para chegar em casa e deitar na minha cama”, disse Juninho ao desembarcar.

O volante foca não só no clássico contra o Cruzeiro, “temos de manter a liderança do Mineiro”, mas também já pensa na próxima fase da Copa Brasil. “Vamos a Caxias enfrentar o Juventude, mas pelo menos sabemos que o gramado é bom e que vai dar para jogar. O que encontramos em Boa Vista é impressionante. O lugar não é um estádio, mas um campo de esportes olímpicos, pois tem uma pista de atletismo, fossos, grades para treinamento de arremessos, e o gramado não é só para o futebol. Na verdade, é um campo no meio de tudo aquilo.”

DECISIVO O técnico Givanildo Oliveira marcou treinos para hoje e amanhã e já se preocupa com a armação da equipe para o clássico. “Passei a pensar nisso tão logo acabou o jogo.” Para o treinador, o América cometeu erros contra o São Raimundo, em especial de posicionamento. “Procurei corrigir isso no intervalo. Melhorou, mas ficou longe do ideal.” Ele não antecipa se mexerá na equipe. No entanto, há dúvida entre a escalação de Felipe Azevedo, livre de suspensão, e Neto Berola.


Publicidade