Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Galo briga por vaga e marca histórica na Libertadores

Além de buscar a classificação na pré-Libertadores contra o Danubio, Atlético conta com o Independência lotado para tentar também chegar ao 400º gol na arena desde a reabertura


postado em 12/02/2019 05:08

Artilheiro do Galo nesta temporada, Ricardo Oliveira aponta o lado especial de atuar no Horto:
Artilheiro do Galo nesta temporada, Ricardo Oliveira aponta o lado especial de atuar no Horto: "O campo e o fator torcida nos fazem muito fortes" (foto: MIGUEL SCHINCARIOL/ESTADãO CONTEúDO - 5/5/18)


Palco de jogos épicos do Atlético nesta década, o novo Independência pode testemunhar mais um feito importante da equipe em sua primeira partida eliminatória de 2019. No duelo com o Danubio, hoje, às 19h15, pela pré- Libertadores, o Galo terá a chance de chegar ao expressivo número de 400 gols como mandante no estádio. Balançar as redes com eficiência e demonstrar equilíbrio também na defesa são os desafios do time de Levir Culpi, que empatou por 2 a 2 no duelo de ida, no Uruguai, depois de estar à frente no placar por duas vezes.

Empate por 0 a 0 ou 1 a 1 classifica os mineiros à próxima fase e novo 2 a 2 leva a decisão da vaga aos pênaltis. Mas com a casa cheia – os 22,5 mil ingressos foram esgotados na noite de sexta-feira –, a expectativa é por uma grande vitória para embalar ainda mais a equipe.

Quem passar deste confronto pegará o vencedor do duelo entre Barcelona-EQU e Defensor-URU, que se enfrentam hoje, às 21h30, em Guayaquil (os equatorianos tinham ganhado por 2 a 1 na casa do adversário, mas escalaram irregularmente o volante Sebastián Pérez, levando a Conmebol a decretar a vitória dos uruguaios por 3 a 0).

Quando o assunto é balançar as redes no Horto, o atacante Ricardo Oliveira, de 38 anos, torna-se a principal esperança alvinegra de classificação. Na semana passada, ele marcou duas vezes e desperdiçou duas chances no Uruguai, sendo apontado pela Conmebol como o melhor em campo. O artilheiro já marcou sete vezes em apenas quatro partidas nesta temporada. Dos 29 gols com a camisa do Atlético, 19 foram no caldeirão do Independência.

Mesmo satisfeito com as estatísticas nos primeiros jogos de 2019, Ricardo Oliveira afirma que ainda tem muito a somar para o alvinegro: “Os números são muito bons. Sem a cooperação dos companheiros não seria possível estar contribuindo com gols. Temos muito a melhorar coletivamente, mas o Levir vem dizendo que vamos crescer muito na temporada. Não podemos exigir o time pronto em apenas um mês”.

GOLEADOR A temporada de 2019 é a oitava do Galo como anfitrião no novo Independência. A goleada diante da URT por 4 a 0, há quase duas semanas, pelo Campeonato Mineiro, foi o 200º jogo da equipe como mandante no estádio, onde houve vitórias emblemáticas rumo aos títulos da Libertadores’2013 e da Copa do Brasil’2014. Dos 398 gols na arena após a reconstrução, 27 foram do atacante Jô, o maior goleador nesta fase do estádio. Do atual grupo quem fez mais gols foi Luan, com 26.

O técnico Levir Culpi espera que a parceria entre time, torcida e estádio faça novamente a diferença: “Esse é o grande momento do Atlético, é o jogo que esperamos e o mais emocionante que teremos até agora. É um jogo de Libertadores. Temos de estar fechados com a torcida. Começa com o empenho dos jogadores e isso vai motivar o torcedor, que vai incentivar. Temos de fazer um trabalho legal em campo para depois comemorar juntos. O time tem de estar redondinho, não com a perfeição que queremos. Vamos jogar com a intenção de vencer, tal qual fizemos no Uruguai”.

Apesar dos apelos da torcida para que Levir escale Guga na lateral direita, a tendência é que o treinador mantenha Patric como titular. Além da confiança no jogador de 29 anos, há o fato de o recém-contratado ainda não ter feito uma partida internacional na carreira – ele atuou somente em três compromissos pelo Campeonato Mineiro. No setor criativo, o volante Elias e o atacante colombiano Chará não tiveram desempenho satisfatório no Uruguai e podem perder as posições para Zé Welison e Maicon Bolt, que deram mais firmeza na recomposição defensiva e marcação.


TRÊS PERGUNTAS PARA...
RICARDO OLIVEIRA, atacante do Atlético

1) Você marcou 19 dos 29 gols pelo Atlético no Independência. A que se deve este excelente aproveitamento individual em casa?
Eu me sinto muito bem jogando diante do meu torcedor, no nosso campo, isso acontece com todos os times. Jogar dentro de casa é sempre melhor. Mas no nosso campo o retrospecto é positivo. Tradicionalmente, o Independência é um campo que favorece o Atlético. Joguei aqui contra também. O nosso torcedor é muito próximo e presente. E também conhecemos muito bem o campo e o gramado. Os 19 dos 29 gols que marquei se devem a isso, porque é a casa do torcedor e do Atlético.

2) Em pouco mais de um ano jogando pelo Galo você consegue perceber quais as principais armas da equipe para ser forte no Horto?

É difícil perceber quais são as principais armas. Conhecendo nosso estádio, o gramado, isso facilita bastante. Jogar dentro de casa, onde você conhece, torna a equipe mais forte. O campo e o fator torcida nos fazem muito fortes dentro do Horto

3) Seu aproveitamento em 2019 é excelente. A boa fase dos armadores (principalmente Cazares) é um fator que deve ser considerado?
O aproveitamento é ótimo. O time vem jogando bem neste início de ano, ainda buscando o ponto ideal. Vamos crescer muito nesta temporada. É claro que temos jogadores que vêm se destacando e eu dependo disso. Sou o centroavante, o cara que depende das bolas para concluir em gols e ajudar o time a vencer os jogos. O centroavante depende que a bola chegue para que ele possa fazer os gols. Sem dúvida, o time tem me ajudado muito neste início. Contando também com bom aproveitamento que eu tenho, isso é fundamental.


O ADVERSÁRIO
Aposta em evolução

Mesmo sem ter feito um compromisso oficial em 2019, o Danubio, de Sergio Felipe , conseguiu o empate com o Atlético por 2 a 2 no primeiro jogo, em Montevidéu. Agora, a expectativa é de que a equipe possa se soltar mais e mostrar atuação ainda melhor em Belo Horizonte. “Enfrentaremos um grande time em seu estádio, mas mostramos que podemos encará-lo com nossas forças. Vamos seguir com nossos conceitos para tentar a classificação”, afirma o técnico Marcelo Méndez, que tende a manter a base que atuou na semana passada contra o Galo.


FICHA TÉCNICA
Atlético x Danubio

Atlético: Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adílson, Elias, Cazares, Luan e Chará; Ricardo Oliveira
Técnico: Levir Culpi
Danubio: Cristófaro; Sergio Felipe, Ramírez, Goñi e Sosa; Siles, Gonzalo Montes, Olivera e Onetto; Grossmüller e Rodríguez
Técnico: Marcelo Méndez
Fase preliminar da Libertadores
Estádio: Independência
Horário: 19h15
Árbitro: Patrício Loustau (ARG)
Assistentes: Diego Bonfá e Ezequiel Brailovsky (ARG)
TV: Fox Sports


Publicidade