Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Por grupo forte, Cruzeiro recusa propostas por seus jogadores

Disposto a lutar por todos os títulos que disputar em 2019, clube celeste não abre mão nem de atletas que estão na reserva do time de Mano Menezes


postado em 06/02/2019 07:42

Diretoria cruzeirense rejeitou cerca de R$ 11 milhões por 50% dos direitos do atacante Raniel, que não é titular da equipe(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Diretoria cruzeirense rejeitou cerca de R$ 11 milhões por 50% dos direitos do atacante Raniel, que não é titular da equipe (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)


Há exatos 30 dias da estreia na Copa Libertadores, o Cruzeiro se concentra apenas no Campeonato Mineiro e em ganhar o maior entrosamento possível. Ainda que o torneio continental seja prioridade, a intenção é ganhar todas as competições que disputar e, para isso, o clube não pretende se desfazer de jogadores, ainda que haja mais de uma opção por posição.

Uma delas é o comando de ataque, no qual o técnico Mano Menezes tem à disposição o experiente Fred, de 34 anos e que é titular; e Raniel e Sassá, de 22 e 25 anos, respectivamente. O clube já recusou até proposta do Santos pelo prata da casa celeste, pois considera que todos serão úteis no decorrer da temporada. Além da Libertadores e do Estadual, o Cruzeiro disputará o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil – da qual é atual bicampeão. Para entrar em todas essas competições com chance real de título, a diretoria acredita que não só Raniel, mas também Fred e Sassá serão fundamentais.

“O Santos enviou proposta, de US$ 3 milhões (cerca de R$ 11 milhões) por 50% dos direitos pelo Raniel, mas recusamos. Não pretendemos vendê-lo, principalmente por esse valor, pois o consideramos uma peça importante”, afirmou o vice-presidente executivo de futebol celeste, Itair Machado, em entrevista à Fox Sports. Os números até o momento mostram que o Cruzeiro pode estar no caminho certo. Fred e Raniel são artilheiros da equipe no ano, com três gols cada em quatro jogos. Já Sassá não foi às redes nas três partidas em que esteve em campo, mas é sempre opção interessante pela força física e qualidade técnica.

Ontem pela manhã, porém, o camisa 99 se reapresentou na Toca da Raposa II caminhando com auxílio de muletas. Segundo a assessoria de imprensa do Cruzeiro, ele reclamou de dor na região articular do joelho esquerdo e, por precaução, está evitando apoiar na perna no chão. Porém, a situação não preocupa e a previsão é de que volte a treinar ainda nesta semana. Em 2018, Sassá ficou 13 semanas em recuperação de cirurgia no joelho esquerdo. O atacante ficou afastado dos gramados de 13 de junho a 16 de setembro.

UM A MENOS O Cruzeiro iniciou a temporada com mais um atacante de área, Barcos, contratado no ano passado quando Fred já havia passado por cirurgia no joelho direito e justamente quando Sassá se machucou. Porém, as partes chegaram a acordo para rescisão do contrato, que ia até julho, e o argentino se transferiu para o Atlético Nacional, da Colômbia.


ENQUANTO ISSO....
...Nova ação na Justiça

A Minas Arena, concessionária que administra o Mineirão, pediu à Justiça o bloqueio de R$ 12,085 milhões do Cruzeiro referentes às despesas de jogos realizados no estádio entre 2016 e 2017, quando o clube ainda era presidido por Gilvan de Pinho Tavares. “O valor se refere ao reembolso de 70% dos custos operacionais das partidas, tais como segurança, limpeza, brigadistas, entre outros. Já estavam ajuizadas as dívidas referentes aos anos de 2013, 2014 e 2015. Reuniões periódicas acontecem com o clube para tratar esta questão. A diretoria do Cruzeiro já estava ciente deste ajuizamento, pagou parte das despesas do ano de 2018 e conversa com a administração do Mineirão sobre a quitação de 70% dos custos relativos ao ano passado, conforme previsto em contrato. O Mineirão espera que a questão seja solucionada o mais breve possível e se orgulha de oferecer uma das operações mais eficientes do país, proporcionando excelentes resultados financeiros aos clubes que aqui jogam”, disse a concessionária, em nota. Já o clube afirmou que soube do processo pela imprensa.


Publicidade