Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Cruzeiro é tetra da Copa Brasil

Time celeste bate o Minas por 3 a 0 na decisão e levanta o 33º título da sua história


postado em 28/01/2019 05:11

Em duelo mineiro em Lages, ontem à noite, time celeste passou fácil pela equipe minas-tenista, vencendo por 3 a 0(foto: Cristiano Andujar/Inovafoto/CBV )
Em duelo mineiro em Lages, ontem à noite, time celeste passou fácil pela equipe minas-tenista, vencendo por 3 a 0 (foto: Cristiano Andujar/Inovafoto/CBV )

 

 









É tetra. O Cruzeiro levantou ontem o 33º título em 44 disputados desde 2010 ao vencer o Minas na final da Copa Brasil Masculina de Vôlei, no Ginásio Jones Minosso, em Lages (SC), por 3 a 0 – 29/27, 25/22 e 25/22. O time celeste é o primeiro clube a conquistar o torneio duas vezes consecutivas. Com o título, a equipe cruzeirense garantiu vaga na próxima final da Supercopa, que reúne os campeões da Copa Brasil e da Superliga 2018/2019.

O capitão do Cruzeiro, Filipe, estava feliz e mandou um recado aos adversários: “O time encaixou. Muitos duvidavam, ainda mais com a saída de alguns jogadores, foram quatro peças importantes. Precisávamos de tempo, até para quem chegou se entrosar. É maravilhoso defender uma equipe que continua sendo vencedora e batalhadora”.

Desde 2010, a final do Campeonato Mineiro de Vôlei é disputada entre Cruzeiro e Minas. Neste ano, o time celeste levou a melhor. Ontem, os rivais voltaram a se enfrentar numa decisão de título e, mais uma vez, os cruzeirenses saíram de quadra com o triunfo. Para Marlon, levantador minas-tenista, a explicação do vice-campeonato é porque “o Cruzeiro sacou bem, impôs o saque flutuante e nos tirou o ataque da primeira bola. Tivemos um desequilíbrio ofensivo e não conseguimos reagir”.

Para chegar à final, os comandados do técnico Marcelo Mendez venceram o Maringá por 3 a 1 (25/21, 23/25, 25/21 e 25/15). Já o Minas eliminou o Taubaté numa batalha definida no tie-break: 3 a 2 (34/32, 20/25, 20/25, 25/23 e 15/9).

O JOGO

O duelo mineiro começou com o Minas em vantagem. Logo no início, a equipe do técnico Nery Tambeiro abriu quatro pontos de frente. Os dois times investiram nos saques forçados, o que gerava muitos erros de ambos os lados. Aos poucos, o Cruzeiro tirou a diferença e passou à frente, mas o Minas conseguiu o empate em 25 a 25. Em grande jogada do ponteiro Taylor Sander, que caiu em quadra e teve tempo de se levantar, o americano tocou com efeito e colocou a bola por entre o bloqueio duplo do Minas para fechar o primeiro set em 29 a 27.

No segundo set, o Minas perdeu o ritmo. Aproveitando as falhas de defesa e ataque do adversário, o Cruzeiro fechou em 25 a 22. Na terceira parcial, literalmente, repetiu-se o roteiro. O Cruzeiro conseguiu colocar seis pontos de frente, o Minas entregava pontos de graça e o jogo foi fechado em 25 a 22.


Os campeões

 Ano    Ganhador    Local
 2007    Cimed-SC    Joinville (SC)
 2014    Cruzeiro    Maringá (PR)
 2015    Taubaté    Campinas
 2016    Cruzeiro    Campinas
 2017    Taubaté    Campinas
 2018    Cruzeiro    São Paulo
 2019    Cruzeiro    Lages (SC)


Publicidade