Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Tabu e muito calor na estreia do Coelho

Há 12 anos sem perder o duelo contra a Caldense, o América vai ao Sul de Minas com o objetivo de manter a escrita e começar bem a competição, apesar do horário ruim para os jogadores


postado em 20/01/2019 05:08

O atacante Neto Berola é um dos destaques do novo time do América para a temporada%u20192019 e terá que saber dosar sua velocidade por causa do calor que é esperado na partida de hoje em Poços de Caldas(foto: João Zebral/América)
O atacante Neto Berola é um dos destaques do novo time do América para a temporada%u20192019 e terá que saber dosar sua velocidade por causa do calor que é esperado na partida de hoje em Poços de Caldas (foto: João Zebral/América)
Num horário pouco confortável, por causa do forte calor que atinge toda Minas Gerais, Caldense e América se enfrentam hoje, às 11h, no Estádio Ronaldo Junqueira, o “Ronaldão”, pela primeira rodada do Campeonato Mineiro de 2019. O Coelho não perde para o time de Poços de Caldas há 12 anos e o tabu é encarado de formas distintas pelos treinadores. Givanildo Oliveira não quer nem falar sobre o assunto, ao contrário do estreante Ito Roque, que quer acabar de vez com a escassez de vitórias da Veterana.

“O horário não me agrada, de jeito nenhum. Jamais marcaria um jogo para as 11h, ainda mais no verão. Mas nos preparamos para isso. Todos os treinos da semana foram nesse horário, para que os jogadores pudessem se adaptar pelo menos um pouco”, diz Givanildo, que não esconde sua preocupação com a estreia.

Para ele, o time que pretende escalar correspondeu nos cinco coletivos que comandou durante a semana. Ele admite que não se pode esperar um jogo perfeito por causa da grande quantidade de mudanças que ocorreram no time. “Quando se trocam dois ou três jogadores, é fácil manter o padrão da equipe. Mas o desmanche foi grande. Foram muitas as trocas, sete. Mas gostei do que aconteceu nos treinamentos.”

Ele diz que espera um time mais ofensivo. “Temos dois laterais de força, que chegam bem ao ataque. Vamos explorar isso, assim como o caso do volante que sabe sair jogando, o Juninho.” Mas tem uma preocupação. “Não sabemos ainda como os jogadores estão quanto à parte física. Se suportarão os 90 minutos. Sei que alguns vão sentir cansaço, mas espero que, se acontecer de bater em alguém, que seja já no finzinho do jogo.”

Na Caldense, fala-se muito em colocar fim ao tabu. São sete vitórias do América e dois empates, desde 2007. Para Givanildo, essa história de tabu não existe. “Não acredito em nada disso, tanto que falam que tabu é pra ser quebrado. Não penso nisso e nem vou falar sobre isso com os jogadores. Temos é de entrar e cumprir nosso objetivo, que é a vitória. Vamos para conquistar o título mineiro.”

ORDEM Na Caldense, a ordem é quebrar o tabu. O técnico Ito Roque lembrou aos jogadores que a última vitória contra o Coelho aconteceu em 31 de janeiro de 2007, em Poços, quando a Caldense fez 2 a 1. “Está na hora de terminar com isso.” Até hoje, América e Caldense já disputaram 75 jogos. Foram 41 vitórias do América, 15 da Caldense e 19 empates.

O time de Poços de Caldas se prepara para o Mineiro desde 12 de novembro. A equipe foi bastante reformulada em relação à temporada passada. Permaneceram apenas três jogadores: o goleiro Omar, o zagueiro Robinho e o volante Jean. As principais contratações foram os atacantes Salatieu, Édipo e Leleco.

Os ingressos para o jogo de hoje custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Outros jogos Os confrontos Tupi x Tombense e Villa Nova x Tupynambás também serão hoje, às 11h. O Patrocinense recebe a URT, às 17h.


Publicidade