Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Associação quer criar liga


postado em 19/01/2019 05:02

O basquete em cadeira de rodas viveu um boom no Brasil entre 1984 e 2000. Foi um época de ouro, em que uma equipe mineira, a da Associação Mineira de Paraplégicos (AMP), foi campeã e vice brasileira, além de campeã sul-americana. Mas sem apoio, o esporte morreu. Agora, ele está de volta. Um encontro hoje, às 9h, na sede da Associação Mais Acessível (AMA), na Avenida do Contorno 2.655, no Bairro Santa Efigênia, marcará o retorno da modalidade. Em seguida, às 14h, haverá jogo de exibição entre paratletas da atualidade e do passado.

O basquete em cadeira de rodas é o primeiro esporte paralímpico. Nasceu como estímulo para ajudar na recuperação de cadeirantes. Nasceu no hospital da cidade Stoke Mandeville, na Inglaterra, para ajudar na recuperação de mutilados da Segunda Guerra Mundial. No Brasil, a modalidade é coordenada pela Confederação Brasileira de Basquete em Cadeira de Rodas, vinculada ao Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

O ex-vereador Leonardo Matos, hoje presidente da AMA, se destacou na modalidade e chegou a ser jogador das seleções brasileira e mineira. Hoje, apenas a equipe de Patos de Minas está na Primeira Divisão do Brasileiro. “Com a criação da Liga Mineira, a intenção é elevar este número ao máximo possível”, disse.


Publicidade