Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Passado em campo

Torneio Internacional Máster de Futebol, que começou ontem em Sete Lagoas e vai até domingo, faz ex-jogadores reviverem os velhos tempos


postado em 10/01/2019 05:05

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

De novo, eles estão no vestiário, se aprontando para entrar mais uma vez em campo para um jogo de futebol, desta vez na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Recebem um par de meia, o calção e a camisa. A chuteira, cada um trouxe a sua. Primeiro, vestem o calção. Em seguida, como se tivessem ensaiado, todos se assentam e começam a enfaixar o tornozelo, como qualquer jogador faz até hoje. Proteger o tornozelo é fundamental. Em seguida, calçam a chuteira e colocam a camisa. Esse foi o ritual seguido pelo time do Atlético, que fez o jogo de abertura do Torneio Internacional Máster de Futebol, ontem, contra o Boca Juniors. No vestiário argentino, o ritual foi semelhante.

Na arquibancada, o torcedor está ansioso para matar a saudade de craques do passado. No Galo, uma notícia triste: Paulo Isidoro, que foi ao hotel para reencontrar os ex-companheiros, estava contundido e não poderia mais jogar. “Só queria rever o pessoal”.

Alguns nutriam expectativa maior, como o ex-atacante Sérgio Araújo, organizador do time do Atlético. Humilde, pegou a camisa 14. “Vou ficar no banco e entrar depois. Deixa o pessoal que está mais preparado jogar.” Com a camisa 6, Paulo Roberto Prestes. A 3 é de Sandro Barbosa. Alcir tem a 2. Bruno é 7. Gedeon, 8. Wellington Amorim, a 9. E uma surpresa: eis que chega um reforço de peso, Piu, campeão mundial e bicampeão brasileiro com o futsal do Galo, nos anos 90.

Não podiam faltar as brincadeiras. Eles parecem meninos novamente. “Era difícil aguentar os cheiros do Valença. Deus me livre”, dispara Sérgio Araújo. Valença parte pra cima e finge que vai dar um soco no ex-atacante. Paulo Roberto Prestes só ri. Sandro Barbosa também não se contém e cai na gargalhada.

Está quase na hora de entrar em campo e o treinador, Jorge Valença, se apressa em chamar o grupo para a preleção. Começa a falar: “Dá licença. Todo mundo vai jogar, mas o time que vai começar é o que está jogando junto há mais tempo”. Jogadores que estavam fazendo massagem se aproximam e ele é obrigado a repetir tudo. Com o grupo todo reunido, traça a estatégia: “Vamos no 4-4-2. Primeiro, temos de ver como eles vão jogar. Vamos analisar e ver como eles se comportam e, depois de estudá-los, vamos pra cima. É tudo! Todos para o campo!”.

No vestiário do Boca o clima é um pouco diferente. Existem as conversas, mas não se veem tantas brincadeiras. Eles parecem encarar o jogo não como uma brincadeira, um reencontro. E a prova disso é que todos os jogadores vão para o campo para um aquecimento. E o fazem como se ainda estivessem na ativa. Do outro lado, aos poucos, os jogadores do Galo vão saindo do vestiário e se assustam. “Os caras estão pensando que é jogo mesmo”, diz Paulo Roberto. “Tomara que se cansem no aquecimento...”

TRIUNFO ALVINEGRO No campo, um jogo em ritmo lento. O Atlético foi mais time no primeiro tempo, quando venceu por 1 a 0, gol de Gedeon cobrando pênalti sofrido por Paulinho, derrubado por Navarro Montoya. No segundo tempo, o Boca empatou, com o lateral-direito Jorge Martinez, Mas Piu fez o gol da vitória atleticana.

 

enquanto isso...
Baixas de última hora

O Torneio Internacional Máster de Futebol perdeu dois times de forte apelo para torcedores aos 45 minutos do segundo tempo. Na terça-feira à noite, o Flamengo comunicou que não viria mais a Sete Lagoas. “Segundo o responsável pela equipe, não foi alcaçada a cota de patrocínio para custear as gratificações dos jogadores, já que transporte, hospedagem e alimentação correm por conta da organização do torneio”, informaram os promotores da competição, via nota oficial. Como não havia tempo hábil para convidar outro time para viabilizar a tabela e completar a rodada de estreia, disputada ontem, eles optaram por dispensar o Racing, da Argentina – que ainda não havia embarcado para o Brasil. Assim, foram formados dois grupos com três times cada. Houve também alteração de última hora na disputa, com o cruzamento entre as chaves, em vez de confrontos dentro do mesmo grupo, como seria inicialmente. São três jogos por dia e os dois melhores de cada chave passam às semifinais, que serão disputadas no sábado. O campeão será conhecido no domingo.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade