Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Argentinos dominam eleição da América


postado em 01/01/2019 05:06

Armador Pity Martínez foi escolhido o melhor jogador do continente por suas atuações com a camisa do River Plate(foto: GABRIEL BOUYS/AFP)
Armador Pity Martínez foi escolhido o melhor jogador do continente por suas atuações com a camisa do River Plate (foto: GABRIEL BOUYS/AFP)

Campeão da Copa Libertadores com o River Plate, o armador argentino Pity Martínez foi escolhido o Rei da América em 2018, na tradicional premiação concedida pelo jornal uruguaio El País, que contempla os melhores do continente desde 1986. O camisa 10 de 25 anos, que anunciou sua transferência para o Atlanta United, dos Estados Unidos, teve 40,6% dos votos de jornalistas (130 dos 320 que participaram da escolha) e superou o ex-companheiro de equipe, o colombiano Quintero, que teve 15%.

Um jogador argentino não ganhava a premiação desde que D’Alessandro foi escolhido em 2010, depois de levar o Internacional ao título da Copa Libertadores. Pity Martínez foi o 11º jogador hermano a conseguir o primeiro lugar na premiação. O cruzeirense De Arrascaeta recebeu seis votos e foi o 10º atleta mais votado.

No ano passado, quem venceu a disputa foi o atacante Luan, destaque do Grêmio no título continental. O Brasil já teve o melhor jogador da América por oito vezes, a primeira em 1989, quando o atacante Bebeto superou o meio-campista Mazinho – ambos atuavam pelo Vasco. O único a ganhar o prêmio em duas oportunidades foi o atacante Neymar, em 2011 e 2012.

A seleção do continente também teve ampla maioria argentina. Foram eleitos o goleiro Armani (River Plate), os zagueiros Kannemann (Grêmio) e Maidana (River Plate); o armador Palácios (River Plate) e o atacante Benedetto (Boca Juniors). Os únicos brasileiros escolhidos foram o zagueiro Pedro Geromel, do Grêmio, e o atacante Dudu, do Palmeiras. O goleiro Fábio (dois votos), o zagueiro Dedé (um), o lateral-esquerdo Egídio (33) e o armador Thiago Neves (nove) também foram lembrados para a melhor equipe de 2018.

TREINADORES Na disputa entre os treinadores, Marcelo Gallardo, que comandou o River na campanha do título da Libertadores, venceu com facilidade ao receber 278 votos (87% do total). Ele superou o compatriota Ricardo Gareca, responsável por levar a Seleção Peruana de volta à Copa do Mundo, que teve apenas 16 (5%). Tite, Renato Gaúcho e Tiago Nunes (campeão da Copa Sul-Americana com o Athletico) receberam dois votos, cada.

Na última temporada, o vencedor entre os técnicos foi justamente Tite, que conseguiu classificar o Brasil para a Copa do Mundo com quatro rodadas de antecipação. Sebastião Lazaroni (1989), Telê Santana (1992) e Luiz Felipe Scolari (1999 e 2002) foram os demais treinadores do país que levaram o prêmio.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade