Continue lendo os seus conteúdos favoritos.
Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Quase 40 na linha de corte

Cruzeiro pretende reduzir gastos rescindindo contratos de atletas emprestados a outros clubes. São aproximadamente quatro dezenas de jogadores espalhados por times no país


postado em 30/12/2018 05:03

Revelado na Toca da Raposa, Judivan é um dos que não interessam ao técnico Mano Menezes e estão com destino indefinido(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u20139/3/18)
Revelado na Toca da Raposa, Judivan é um dos que não interessam ao técnico Mano Menezes e estão com destino indefinido (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u20139/3/18)

Sem conseguir baixar a folha salarial com os jogadores do grupo, o Cruzeiro vai tentar economizar rescindindo com atletas que estão emprestados a outros clubes. Essa é a estratégia do vice-presidente de futebol Itair Machado, que até agora anunciou a reintegração apenas do atacante Renato Kayzer, que estava no Atlético-GO. Os outros casos devem ser acertados nos próximos dias pelo diretor de futebol celeste, Marcelo Djian.

“O Cruzeiro tem quase 40 jogadores (emprestados). É um número muito grande. A intenção é rescindir com a maioria, não é emprestar. O Marcelo Djian é quem está cuidando disso”, afirmou Itair ao Superesportes. O dirigente afirmou que o clube tem por objetivo baixar a folha salarial, atualmente de R$ 11 milhões, mas o investimento em reforços do mesmo nível dos atletas que deixam a Raposa dificulta a operação. “Impossível baixar muito, pois, ao mesmo tempo em que saem jogadores, tem que vir jogador para reforçar o Cruzeiro”, disse.

O desafio é justamente equilibrar a balança entre ter um time forte e economizar. Nos últimos dias, para cortar despesas, foi extinto o departamento de atletismo da Raposa, que contava com 25 atletas e custava cerca de R$ 600 mil por ano – valor que já havia sofrido redução de cerca de 40% em 2018. No futebol, o clube deve rescindir contratos próximos de expirar de atletas que não estão nos planos, como o lateral-direito Ezequiel, cujo vínculo ia até julho de 2019. Rafael Sóbis, com contrato até fim de 2019, teve a rescisão acertada e receberá o valor em 10 parcelas. Itair informou que a saída foi amigável.

Outro contrato perto do fim é do lateral-esquerdo Bryan, vinculado ao Cruzeiro até maio, e que foi dispensado pelo Vitória no fim de novembro.

Há jogadores que interessam aos clubes que defenderam em 2018. É o caso do zagueiro Fabrício Bruno. O Cruzeiro cogita utilizá-lo em 2019, mas a Chapecoense demonstrou interesse em manter o defensor, de 22 anos. Outro zagueiro, o experiente Digão, deve permanecer no Fluminense e já há um acordo entre os clubes para que ele siga nas Laranjeiras.

INCERTEZAS O setor que o Cruzeiro mais tem atletas emprestados ainda com futuro indefinido é o ataque. Judivan, com contrato até dezembro de 2020, não se firmou em suas passagens por América e CSA. É o mesmo caso de Halef Pitbull, que passou por Ipatinga e Santa Cruz sem brilho. A Raposa espera conseguir alguma negociação pelo camaronês Joel, que completou um ano pelo Marítimo, de Portugal, clube pelo qual marcou 12 gols em 31 jogos. Ele tem contrato até junho de 2020 com a equipe celeste, que detém 50% dos direitos econômicos do atleta. O restante é fatiado entre Londrina e investidores.


Publicidade