Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Confiança em Givanildo

América renova com o técnico, apostando na volta à elite. No Atlético, Elias espera dar título expressivo à torcida em seu terceiro ano no clube, e Cruzeiro vai atrás de lateral-direito


postado em 06/12/2018 05:05

Givanildo planeja um time ofensivo em 2019, para que o Coelho consiga se garantir de novo na Série A(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Givanildo planeja um time ofensivo em 2019, para que o Coelho consiga se garantir de novo na Série A (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)


Com a confirmação da permanência do técnico Givanildo Oliveira – que neste ano comandou o time nos últimos cinco jogos do Brasileiro com a missão de tentar mantê-lo na elite –, o América parte agora para definir o grupo para 2019. Ainda que mude o perfil das contratações, apostando em jogadores mais baratos em função da queda de receita inerente ao rebaixamento para a Série B, a intenção da diretoria é ter um time competitivo desde o começo da temporada.

“Inicialmente, vamos buscar ganhar o Estadual, que é o primeiro campeonato do ano. Depois, passamos para a etapa do Brasileiro em busca do acesso (à Série A). Mas temos o Estadual e também a Copa do Brasil antes. Vamos focar primeiro nessas competições”, diz o treinador, que, assim, demonstra pensar grande.

Ainda que a maioria dos atletas não permaneça, ele acredita que será possível aproveitar muito do que foi feito neste ano, até por ter gostado da disposição de todos nas poucas partidas em que esteve à frente do Coelho: “Conseguimos, até pela necessidade, jogar de forma ofensiva e com uma condição boa de atacar e marcar. Para o próximo ano, espero que sejamos um time ofensivo novamente. É difícil confirmar, porque o futebol é muito complicado. Depende do grupo que se formar, das situações de jogo e dos adversários. Mas vamos procurar fazer o melhor”.

Esta é a quinta passagem de Givanildo pelo América, sendo o segundo técnico que mais dirigiu o clube, com 240 jogos, atrás apenas de Yustrich, que soma 278. É também um dos mais vitoriosos, tendo levado o time americano aos títulos da Série B do Brasileiro de 1997, da Série C do Brasileiro de 2009 e do Campeonato Mineiro de 2016. Além disso, em 2015, comandou a equipe na Segunda Divisão. O quarto lugar resultou na volta à elite, o que se espera que se repita no ano que vem.

DIRETOR
Para intensificar a formação do grupo americano para o ano que vem, a diretoria precisa definir também a contratação de um diretor de futebol. Ricardo Drubscky, que ocupava o cargo, saiu na segunda-feira para assumir como treinador do Tombense.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade