Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Buscar a vitória, mas sem se expor demais

Mesmo que tenha de lutar pelo triunfo sobre o Fluminense para permanecer na Série A, América afina o discurso sobre %u2018jogo de inteligência%u2019 contra um adversário em crise


postado em 01/12/2018 05:05

O América precisa da vitória a qualquer custo sobre o Fluminense para se manter na Série A, mas não fará o papel de franco-atirador na partida de amanhã, no Maracanã. O espírito entre os jogadores, porém, será o de uma final, diante de um adversário também ameaçado e em crise, redundando na demissão do técnico Marcelo Oliveira na quinta-feira.


O discurso entre jogadores e treinador está afinado. Entre as palavras mais usadas por eles estão cautela, inteligência, paciência. Estreante no estádio do Rio de Janeiro, o goleiro João Ricardo antecipa que a equipe americana não ficará exposta. “Acho que é um jogo de estratégia. Não dá para chegar lá e jogar de qualquer forma, abrindo os espaços e todo desorganizado”, defende. “Acho que temos de ser um pouco cautelosos, aproveitando os contra-ataques e, em alguns momentos, ficar um pouco atrás. Treinamos muito nesta semana e esperamos fazer um grande jogo, bem postados, tranquilos, bem seguros e dando poucas chances ao adversário”.


Ainda que busque os três pontos, o alviverde não pretende se lançar desorganizadamente sobre o rival. Para o técnico Givanildo Oliveira, a postura deve ser inteligente, focada na posse de bola, marcação eficiente e ataque com consciência: “Para ir pra cima de um adversário, primeiro você tem que ter a bola. Para ter a bola, você tem que marcar bem para tomar essa bola o mais rápido possível. Agora, claro, você com a bola, o pensamento de todo time é tentar o gol. Não no desespero. Não é achando que nós temos que ir e que só a vitória interessa.”


Ele até admite que, se o placar for desfavorável já perto do fim, aí valerá o tudo ou nada. “Desespero vai lá pros 10 minutos finais. Tá zero a zero, 10 minutos finais, você vai com tudo. Aí, vamos ver o que é que dá. Mas no jogo normal não tem que ser assim. Eles (jogadores) sabem. Nós já conversamos. Sabem que é decisão, o valor que este jogo tem”, afirmou.


Se não conseguir a vitória, o Coelho terá de torcer por tropeços de concorrentes diretos para que não seja rebaixado à Segunda Divisão (confira a combinação de resultados necessária na página 17). Se sobra disposição, o time não contará com o atacante Robinho e o lateral-esquerdo Giovanni, que pertencem ao Fluminense e, por força de contrato, não poderão defender o Coelho. Além disso, o lateral-direito Norberto tomou o terceiro cartão amarelo e está suspenso.

REAVALIAÇÃO Mais três atletas americanos que vinham jogando estão no departamento médico e dependem de reavaliação: o zagueiro Messias, com dor na parte posterior da coxa esquerda, o armador Ruy, com dor na coxa direita, e o atacante Aylon, que sofreu entorse no tornozelo direito. Em tratamento intensivo, eles passarão por testes antes da partida para avaliar se serão liberados.


Já o armador Matheusinho, que trata de tendinite no joelho direito, participou normalmente do treino de ontem e está pronto para jogar. Givanildo definiu a escalação, mas prefere fazer mistério sobre qual formação irá a campo.

*Estagiário sob a supervisão do subeditor Eduardo Murta

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade