Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Acompanhamentos

Abóbora real

Receita fornecida por Vicente Teixeira, de Tiradentes: (32) 3355-1444


postado em 24/02/2017 08:00

Ingredientes:

Para a abóbora

- 2 abóboras-jacaré (uma será usada inteira e a outra picada em cubos, para rechear)

- 150 g de carne seca cozida, dessalgada e picada

- 60 g de bacon frito picado

- 1 concha de azeite

- 1 colher (sopa, rasa) de açúcar cristal

- Pimenta-do-reino a gosto

- 1 tablete de caldo de carne

- 2 colheres (sopa) de catupiry

Para o arroz com taioba

- 1 copo de arroz cozido

- 3 folhas de taioba, picadas finas e sem os caules (serão usados para empanar)

- Sal a gosto

- 2 colheres (sopa) de azeite

- 2 colheres (sopa) de requeijão cremoso

Para o caule de taioba empanado

- Caule das folhas de taioba (retirar a parte onde termina a folha, apenas o cabo)

- Suco e raspas da casca de um limão

- Meio litro de água

- 1 colher (sopa) de vinagre

- Sal

- Fubá para empanar

- 1 ovo

- Óleo para fritar

Onde ficar:

- Fazendinha de Minas(32) 3355-1348Hospedaria da Villa(32) 3355-2403Inconfidentes(32) 3355-2135Mãe Dágua(32) 3355-1206Padre Toledo(32) 3355-2132Pé da Serra(32) 3355-1107Pequena Tiradentes(32) 3355-1262Portal(32) 3355-1154Pousadium(32) 3355-2022Pouso das Gerais(32) 3355-1234Pouso de Bartolomeo(32) 3355-2142

Modo de Preparo:

Cozinhar a abóbora picada em cubos, até que fique al dente. Escorrer. Refogar, no azeite, a cebola, o caldo de carne, a pimenta, a carne seca, o açúcar, o bacon e, por último, os cubos de abóbora escorridos. Abrir uma tampa na outra abóbora e retirar toda a polpa e sementes. Rechear com a mistura de carne e abóbora e, por cima do recheio, pôr o catupiry. Tapar com o pedaço retirado da abóbora e levar ao forno por cerca de três horas.

Para o arroz, molhar as folhas de taioba e refogá-las no azeite até que comecem a desmanchar. Pôr o arroz e o requeijão e misturar. Para o caule, retirar sua película e cortá-los em pedaços de cerca de quatro centímetros. Deixá-los de molho de um dia para o outro na água com sal, suco de limão e vinagre. Escorrer e secar. Passar no ovo batido com raspa de casca de limão e sal e, em seguida, no fubá.

Fritar em óleo bem quente. Servir como acompanhamento da abóbora e do arroz.



Descontração que dá gosto

Se aos ouvidos cozinha não rima com bom humor, para o paladar a afirmativa faz sentido. Basta dar uma olhadinha no cardápio do Restaurante Estalagem do Sabor para confirmar que a graça abre o apetite e mexe com a imaginação. Afinal, não é em qualquer lugar que se vê um jiló preguento, um arroz de marimbondo e um porco religioso. Mas ali, a criatividade não se restringe aos nomes, ela entra também na elaboração dos pratos pelo chef Vicente Teixeira.

Natural de Tiradentes, ele escolheu a comida mineira como inspiração e, num trabalho de resgate e reinvenção, surgiram pratos que consagraram a casa como uma das melhores do país. "Comecei a conversar com as senhoras mais antigas para saber os ingredientes que eram usados. Dei meus toques e fiz adaptações", diz. Assim, a nossa tão querida taioba é refogada até derreter, para deixar o arroz verdinho e acompanhar a linda e saborosa abóbora real.

O caule da taioba, normalmente desprezado, vira um respeitável petisco para comer e pedir bis. E o que dizer do mexido? Apelidado de mané sem jaleco, é preparado de forma tão especial que se tornou um dos pratos mais pedidos da casa. Aberto há mais de 20 anos, o Estalagem do Sabor foi erguido na casa onde Vicente nasceu, o que explica, entre outros fatores, a relação afetiva e de respeito do chef pelo espaço e pelos fregueses.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade