Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Pratos Principais

Frikadeller

Receita fornecida por Elisabeth Sorensen, de Cruzília: (35) 3346-1718


postado em 20/01/2017 09:10

Ingredientes:

- 250 g de carne bovina (de sua preferência) e 250 g de carne suína (lombo ou pernil), moídas juntas, duas vezes

- 1 cebola média, ralada

- 1 ovo

- 1 xícara (chá) de leite

- Sal e pimenta-do-reino a gosto

- 3 colheres (sopa) de manteiga

- 3 colheres (sopa) de farinha de trigo

- 1 colher (sopa) de óleo

Restaurantes:

- São Vicente de MinasRestaurante do Adriano(35) 3323-1739Dona Antônia(35) 3323-1431Paiol de Minas(35) 9939-9750Canto do Macuco(35) 8862-0392MinduriRestaurante da Célia(35) 3326-1353AndrelândiaRestaurante Bártalo(35) 3325-1430Fornalha(35) 3325-2406CarrancasRoda Viva(35) 3327-1031Restaurante da Toca(35) 3327-1070Adobe(35) 3327-1486CruzíliaCultura de Quintal(35) 3346-1742

Modo de Preparo:

Misturar as carnes, os temperos e o ovo. Pôr a farinha, mexer bem e, em seguida, pôr o leite e misturar. Aquecer uma frigideira com a manteiga e o óleo. Fritar colheradas da massa, deixando dourar bem dos dois lados.



Tentação que vem de longe

De Carrancas, os viajantes seguem para Cruzília, a 320 quilômetros de BH, onde ainda é possível ver o prédio que durante anos abrigou uma das principais fábricas de queijos da região. Ao lado da construção, fica a casa de Elizabeth Sorensen, filha de um dos queijeiros dinamarqueses que vieram para o país para desenvolver sua arte e que foi o responsável pela criação do famoso queijo-prato. A mineira conta que o cotidiano das famílias dinamarquesas no Brasil era muito animado e que comida boa e farta não faltava nas festas.

O cardápio dinamarquês ficava por conta da mãe que, aos poucos, passou seu conhecimento a outras mulheres. "Os outros dinamarqueses se casaram com brasileiras e, como minha mãe era a única dinamarquesa, foi ela quem trouxe as receitas", conta. Elizabeth também ajudava a mãe, o que lhe rendeu muito conhecimento dessa rica gastronomia. Tanto que hoje comida dinamarquesa não pode faltar na casa, como a deliciosa frekedella, um bolinho de carnes bovina e suína.

Como acompanhamento, ela sugere uma conserva de beterraba muito apreciada no país europeu. "É só cozinhar a beterraba, pôr vinagre, sal e açúcar. Fica uma delícia." É impossível não se render à maravilha.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade