Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Aperitivos

Bolinho de cascudo

Receita fornecida por João Assis Santos Oliveira, de Montes Claros (38-3212-2805)


postado em 03/06/2016 08:30

Ingredientes:

- 4 kg de cascudo, limpo e sem espinhas

- 2 ovos

- Meio molho de cebolinha

- Meio molho de coentro

- 2 cebolas picadas

- 100 g de farinha de trigo

- Sal a gosto

Ondeficar:

Hotel Nobre (38) 3222-1222

Modo de Preparo:

Pôr água numa panela e cozinhar o peixe de 10 a 15 minutos. Desprezar a água quente e, fora do fogo, substituí-la por fria, a fim de dar um choque na carne. Abrir a carne do peixe e retirar o espinhaço com as mãos. Pôr o peixe num pano, torcer bem, para sair todo o caldo, esmigalhar a carne com os dedos e catar as espinhas, cuidando para que não fique nenhuma. Misturar a carne com os ingredientes e fazer os bolinhos no formato de quibe.

Fritar na gordura quente.



Para ir ao ataque

Em Montes Claros, o viajante não tem do que se queixar quanto a tira-gostos, pratos salgados, doces e produtos do sertão. No fim da tarde, diante da cerveja gelada, nada melhor do que o bolinho de cascudo, petisco no formato de quibe, feito com arte e capricho por João Assis Santos Oliveira, o Maria Loura, de 51 anos. O apelido nasceu nos campos de futebol, quando ele era um jovem beque central e defendia as cores do seu time.

O registro fotográfico, aliás, está nas paredes do seu bar, na rua Anhangüera, 385. O tempo passou e o talento permaneceu, mas, num drible do destino, pulou do gramado para a cozinha, sem perder o gingado e a garra. João conta que inventou o bolinho para não desperdiçar partes do peixe gordo, até então descartadas e sinal evidente de prejuízo. Deu certo e ganhou fama. No preparo, é preciso dar um choque na carne, para que fique macia.

Outra dica valiosa está na completa retirada, com as mãos, do espinhaço do cascudo, além de uma operação pente-fino na carne, medidas que impedem a visita inesperada de um fragmento à garganta do freguês. Depois de sair da gordura quente, crocante, o petisco só desperta elogios. Verdadeiro show de bola!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade