Jornal Estado de Minas

ELEIÇÕES 2022

Datafolha divulga hoje (9/9) números de pesquisa para presidente


O Datafolha divulgou às 20h desta sexta-feira (9/9) novos números com intenções de voto para a presidência da República e a avaliação da população sobre o governo de Jair Bolsonaro (PL). A coleta dos dados começou ontem e terminou hoje. Foram entrevistados eleitores de todas as regiões do Brasil.



Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue na liderança, com 45%, mesmo número do levantamento anterior (1/9). Jair Bolsonaro (PL), por sua vez, subiu dois pontos e agora tem 34%. Ciro Gomes (PDT) registrou 7%, e Simone Tebet (MDB) 5%.

LEIA MAIS - Datafolha: Lula tem 45% das intenções de voto; Bolsonaro soma 34%

Soraia Thronicke (União Brasil) obteve 1%. Pablo Marçal (PROS), Felipe D'Avila (Novo), Vera Lúcia (PSTU), Sofia Manzano (PCB), Constituinte Eymael (DC), Léo Péricles (UP) e Padre Kelmon (PTB) não pontuaram. Brancos/nulos representaram 4%, e indecisos 2%.

Com relação ao desempenho de Bolsonaro à frente do Brasil, 30% classificaram como ótimo ou bom, 26% regular e 43% ruim ou péssimo.

Contratada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela TV Globo, a sondagem do Datafolha ouviu 2.676 pessoas em 191 municípios nos dias 8 e 9 de setembro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o nº BR-07422/2022.

Dia da Independência


Foi o primeiro levantamento após os comícios de Bolsonaro para milhares de apoiadores no feriado de 7 de setembro, que marcou o bicentenário da Independência do país. O candidato à reeleição em 2022 esteve na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e em Copacabana, no Rio de Janeiro.





O presidente atacou Luiz Inácio Lula da Silva (PT), seu principal adversário no pleito, e o Supremo Tribunal Federal (STF). Também colocou partidos à esquerda no Brasil como aliados de Cuba e Venezuela, citou "luta do bem contra o mal" e afirmou, ao lado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, ser “imbrochável”.

Por sua vez, Lula repreendeu Bolsonaro por usar o Dia da Independência como palanque político e considerou que o atual chefe do Executivo “não tem competência para falar das coisas que o povo tem necessidade”. O petista ainda frisou que sua gestão de 2003 a 2010 foi eficiente em geração de emprego e valorização do salário mínimo.

Pesquisa anterior


Na pesquisa anterior do Datafolha, em 1º de setembro, o ex-presidente Lula aparecia na liderança, com 45%, seguido por Bolsonaro, com 32%. Ciro Gomes (PDT) somou 9%, e Simone Tebet (MDB) 5%. Brancos e nulos representaram 4%, e indecisos 2%.





Soraya Thronicke (União Brasil), Pablo Marçal (PROS) e Felipe D'Ávila (Novo) tiveram 1% cada. Vera Lúcia (PSTU), Sofia Manzano (PCB), Eymael (Democracia Cristã), Leo Péricles (UP) e Roberto Jefferson (PTB) ficaram abaixo de 1%.

Já o mandato de Jair Bolsonaro foi considerado ótimo ou bom por 31% dos entrevistados, regular por 27% e ruim ou péssimo por 42%.

O Datafolha ouviu 5.734 eleitores entre 30 de agosto e 1º de setembro em 285 cidades. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00433/2022.

MATÉRIA ATUALIZADA ÀS 22h29