UAI
Publicidade

Estado de Minas

Bolsonaro exalta seu governo por redução nos preços dos combustíveis

Presidente ataca os 12 governadores que recorreram à Justiça contra a redução da alíquota do ICMS para 18%


02/07/2022 04:00 - atualizado 02/07/2022 00:21

 Jair Bolsonaro, presidente da República, que fez entregas referentes ao programa de microcrédito do Banco do Nordeste, ao lado de João Roma, pré-candidato ao governo da Bahia
''Os nove governadores do Nordeste entraram na Justiça contra a redução de impostos estaduais. Não querem colaborar conosco. Não se preocupam com a sua população. Querem arrecadar de vocês, cada vez mais extorquir o contribuinte brasileiro'' - Jair Bolsonaro, presidente da República, que fez entregas referentes ao programa de microcrédito do Banco do Nordeste, ao lado de João Roma, pré-candidato ao governo da Bahia (foto: CLAUBER CLEBER CAETANO/PR)

Brasília - O presidente Jair Bolsonaro (PL) esteve ontem em Feira de Santana, na Bahia. Em discurso, o chefe do Executivo perguntou aos apoiadores presentes se eles estavam gostando da redução no preço dos combustíveis e afirmou que o crédito pela proposta que limitou a alíquota do imposto estadual a 18%é de sua gestão. “Eu pergunto a vocês, estão gostando da baixa dos combustíveis? Há pouco me culpavam pelo aumento, quando baixa, muitos se calam. É um trabalho nosso. Começou com o governo federal abrindo mão dos seus impostos”, afirmou. Bolsonaro fez passeio de moto pela cidade em direção às obras do rodoanel que liga as BRs 324 e 116. Durante o ato simbólico, ele fez entregas referentes ao programa de microcrédito do Banco do Nordeste. E assinou ordem de serviço para implantação de sistemas de dessalinização no estado. O presidente estava acompanhado pelo pré-candidato ao governo da Bahia João Roma, ex-ministro da Cidadania.

No discurso, Bolsonaro aproveitou para criticar pelo segundo dia consecutivo os nove governadores do Nordeste que entraram na Justiça contra a lei que estabelece um teto para o ICMS sobre os combustíveis e disse que os mesmos querem “extorquir o contribuinte brasileiro”. Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul também protocolaram a ação.

“Agora chegou a vez dos 27 governadores do Brasil. Uma lei sancionada por nós há pouco obrigou que se estabelecesse o teto dos impostos estaduais. A maioria dos governadores já começou a reduzir o preço dos impostos estaduais. Infelizmente, os nove governadores do Nordeste entraram na Justiça contra a redução de impostos estaduais. Não querem colaborar conosco. Não se preocupam com a sua população. Querem arrecadar de vocês, cada vez mais extorquir o contribuinte brasileiro.

“Doze governadores entraram na Justiça. Desses 12, todos os nove do Nordeste, inclusive o da Bahia. Mas a força da lei se fará presente, essa redução se fará de uma forma ou de outra”, alegou. O presidente ainda parabenizou os demais governadores que baixaram os impostos e voltou a atacar o PT. “Meus parabéns aos 15 outros governadores que baixaram seus impostos. Lamento os nove do Nordeste resistirem a isso, mas, como sempre digo, estamos numa luta do bem contra o mal e o bem sempre venceu todas as batalhas. Vocês sabiam que lá no Senado, todos os senadores do PT votaram contra a redução dos impostos? Não é novidade para nós que eles dizem que defendem o povo, mas, na verdade, se usam da população.

BENEFÍCIOS 


No evento, Bolsonaro elogiou o Senado pela aprovação, na quinta-feira, da Proposta de Emenda à Constituição 1/2022, que destina R$ 42,1 bilhões para ampliar benefícios sociais. “Eu quero cumprimentar os senadores. O Senado majorou o valor do Auxilio Brasil de R$ 400 para R$ 700. Também dobrou o valor do Auxílio Gás para todos os brasileiros”, relatou, confundindo o valor que irá para R$ 600. A proposta encabeçada pelo governo federal amplia o valor do Auxílio Brasil e do vale-gás, cria o voucher caminhoneiro e benefícios para taxistas, concede aos estados compensações a alíquota do etanol, fomento à gratuidade no transporte público para idosos e suplementação financeira para o Alimenta Brasil. O custo de todos os benefícios será de R$ 41,25 bilhões aos cofres públicos.

Ainda no discurso, Bolsonaro atacou indiretamente o seu principal adversário, o petista Luiz Inácio Lula da Silva, afirmando que o vermelho é uma cor “profundamente ligada à corrupção e aos desmandos”. “Algo que realmente emociona a todos nós é o sentimento de patriotismo, de brasilidade, cada vez aparecendo mais nos quatro cantos do nosso Brasil. Não tem preço cada vez mais vermos prevalecer as cores verde e amarelo em nosso território brasileiro, cada vez mais longe do vermelho, o que mostra que está profundamente ligado à corrupção e aos desmandos", emendou. Enquanto isso, a plateia bradava: "A nossa bandeira jamais será vermelha"

O presidente também falou sobre o andamento da transposição do Rio São Francisco e voltou a comentar sobre “desvios” de dinheiro no governo PT, dizendo ter faltado “gente honesta” para gerir o país. “A obra do São Francisco estava parada há muito tempo, até aquele tempo desviaram, sim, não foi água, mas dinheiro para o bolso de malandros que estavam ao lado do governo naquela época. Dizer a vocês que somente com o endividamento da Petrobras feito pelo governo vermelho, daria para ser feita 60 vezes a transposição do São Francisco. Ou seja, não falta dinheiro para atender a nossa população, o que faltava era gente honesta para administrar o nosso Brasil.










receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade