Publicidade

Estado de Minas

Fachin: 'Populistas nem se dão ao trabalho de se filiar a um partido'

De acordo com o ministro do STF, o fato 'revela o descaso com que tratam a arena partidária na democracia'


22/07/2021 15:45 - atualizado 22/07/2021 16:36

Edson Fachin, ministro do STF(foto: Agência Brasil/Reprodução)
Edson Fachin, ministro do STF (foto: Agência Brasil/Reprodução)
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin criticou indiretamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nesta quinta-feira (22/7). De acordo com o ministro “os populistas nem se dão ao trabalho de estarem filiados a um partido político”.


As declarações foram dadas durante  participação em evento da organização Transparência Eleitoral.

Fachin disse ainda que, no caso de um populista que se filia a um partido, a decisão é apenas para cumprir as regras eleitorais antes de assumir o poder, pois, “uma vez eleito, retorna ao estado de desvinculação das agremiações políticas”.
 
Jair Bolsonaro foi eleito pelo PSL em 2018. Após algumas diferenças de ideias políticas com o presidente da sigla, ele se desfiliou. Desde então, o presidente está sem partido.

Durante a fala, Fachin ainda criticou a forma como “populistas” usam as redes sociais para se autopromover. 

“É que o populismo e as redes sociais vieram a constituir um par perfeito para colocar à prova a solidez das democracias […] Os constantes ataques, seja contra adversários ou instituições públicas, rendem préstimos […] Isto mostra o quanto é efetiva a exploração política das emoções, do medo, do ódio.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade