Publicidade

Estado de Minas MUDANÇA

CPI da COVID antecipa depoimento de representante da Davati

Luiz Paulo Dominguetti Pereira denunciou a cobrança de propina de US$ 1 por dose de vacina em negociação com o Ministério da Saúde


30/06/2021 23:13

Omar Aziz anunciou mudança na ordem de convocação da CPI da COVID(foto: Pedro França/Agência Senado)
Omar Aziz anunciou mudança na ordem de convocação da CPI da COVID (foto: Pedro França/Agência Senado)
Presidente da CPI da COVID, o senador Omar Aziz (PSD-AM) anunciou na noite desta quarta-feira (30/6) uma troca na convocação dos depoentes da Comissão Parlamentar de Inquérito. Inicialmente previsto para sexta-feira (2/7), o representante da empresa Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, será ouvido nesta quinta-feira (1º/7), a partir das 9h. 

Dominguetti é o responsável por denunciar a cobrança de propina de US$ 1 por dose na compra de vacinas pelo Ministério da Saúde. Em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo", ele acusou o diretor de Logística da pasta, Roberto Ferreira Dias, de cobrar o valor no acerto pela aquisição da vacina da AstraZeneca


Em sua conta no Twitter, Omar anunciou a antecipação. “A CPI decidiu antecipar o depoimento do representante da empresa de vacinas Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira - que disse que recebeu proposta de propina US$ 1 por dose de vacina para venda ao Ministério da Saúde. Vai ser nesta quinta, a partir das 9h.”



A mudança veio na sequência da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu ao empresário Francisco Maximiano, sócio da Precisa, o direito de não responder perguntas potencialmente incriminatórias na CPI. Responsável por intermediar a compra da vacina indiana Covaxin junto ao Ministério da Saúde, Maximiano é quem seria ouvido nesta quinta-feira. 

Entenda o caso

A empresa Davati Medical Supply buscou a pasta para negociar 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca com uma proposta inicial de US$ 3,5 por cada uma – depois disso, passou para US$ 15,5. O encontro para as negociações ocorreu em um jantar no restaurante Vasto, no Brasília Shopping, Região Central da capital federal, em 25 de fevereiro.

Luiz Paulo Dominguetti Pereira, representante da empresa, disse que Roberto Ferreira Dias cobrou propina durante o jantar. "O caminho do que aconteceu nesses bastidores com o Roberto Dias foi uma coisa muito tenebrosa, muito asquerosa", disse Dominguetti.

Roberto Dias foi indicado ao cargo pelo líder do governo de Jair Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). Sua nomeação ocorreu em 8 de janeiro de 2019, na gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM).
 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade