Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Ex-governador de Sergipe João Alves Filho morre aos 79 anos


25/11/2020 12:08

O ex-governador de Sergipe João Alves Filho (DEM), de 79 anos, morreu no fim da noite de terça-feira, 24, em Brasília. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês desde o dia 18, após sofrer uma parada cardíaca, e testou positivo para covid-19.

Diagnosticado com Alzheimer, João Alves Filho era casado com a senadora Maria do Carmo Alves (DEM), com quem teve três filhos: Ana Maria, João Alves Neto e Maria Cristina. "Foram 54 anos de amor, amizade e muito companheirismo", escreveu no Twitter a senadora. "João seguiu em paz para os braços do Pai, livre de todas as doenças que acometiam o seu corpo."

O governo de Sergipe, a prefeitura de Aracaju e a Assembleia Legislativa do Estado decretaram luto oficial de três dias. "O ex-governador João Alves sem dúvida alguma é uma das mais importantes referências políticas que temos no nosso Estado. Foi especial para Sergipe e realizou obras importantes para o povo sergipano", disse em nota o governador Belivaldo Chagas (PSD).

Em nota de pesar, o presidente nacional do DEM, ACM Neto, afirmou que João Alves Filho exerceu a política de maneira admirável e serviu de inspiração para a nova geração de políticos do partido. "Também foi notória a luta de João Alves pelo desenvolvimento do Nordeste, trajeto grandioso no trabalho realizado por ele", disse ACM Neto, prefeito de Salvador. "Homem corajoso e determinado, João Alves valorizou o diálogo e o equilíbrio na política durante todo seu trabalho. Por isso, temos a certeza de que a história escrita por ele, e todo o legado político construído ao longo da sua vida pública, vão seguir inspirando as pessoas por muito tempo."

Carreira

Nascido em 1941 na capital de Sergipe, Aracaju, João Alves Filho era filho do empresário da construção civil João Alves e de Maria de Lourdes Gomes. Ingressou na construtora da família em 1960 e cursou Engenharia Civil na Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia.

A entrada definitiva na política aconteceu em 1975, quando assumiu a prefeitura de Aracaju por indicação do governo militar. Nessa época, era filiado à Aliança Renovadora Nacional (Arena). Depois do fim do mandato, se distanciou da política por alguns anos e viria a se candidatar novamente apenas em 1982, dessa vez para o governo de Sergipe. Foi eleito, naquela que foi a primeira eleição direta no Estado após 20 anos, filiado ao Partido Democrático Social (PDS).

Durante o seu primeiro mandato como governador, desenvolveu o programa Chapéu de Couro, que consistia em promover a perfuração de poços artesianos e a construção de cisternas na região do agreste, entre outras medidas, para combater a seca e desenvolver a região e desenvolver a região rural. Em 1987, foi nomeado ministro do Interior pelo então presidente, José Sarney. Deixou o ministério em 1990, quando o mesmo foi extinto pelo novo presidente Fernando Collor de Melo.

Alves voltou a ser governador de Sergipe em mais duas ocasiões: em 1990 e em 2002. Perdeu, porém, outras três disputas para o governo do Estado: em 1998, 2006 e 2010. Em 2012, voltou à prefeitura de Aracaju e lá permaneceu nos quatro anos seguintes. Estava filiado ao DEM desde 2007.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade