Publicidade

Estado de Minas Eleições

Promessa de diálogo na Câmara

Vereadores mais votados da capital, Duda Salabert (PDT) e Nikolas Ferreira (PRTB) conversam sobre manter divergências apenas no campo das opiniões e propostas


21/11/2020 04:00

Professora e primeira transexual no Legislativo municipal disse que ligou para o jovem direitista para parabenizá-lo (foto: Lucas Ávila/Reprodução/Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Professora e primeira transexual no Legislativo municipal disse que ligou para o jovem direitista para parabenizá-lo (foto: Lucas Ávila/Reprodução/Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
A professora Duda Salabert (PDT), vereadora mais votada e a primeira parlamentar transexual da história de Belo Horizonte, relatou nas redes sociais que telefonou para o também vereador eleito Nikolas Ferreira (PRTB), que ficou com a segunda maior votação para a Câmara Municipal no último domingo.

Segundo Salabert, o contato foi feito com a intenção de parabenizar o futuro colega e de abrir uma janela de diálogo entre os dois, que representam campos políticos e ideológicos opostos. A professora contou que Nikolas assentiu que a disputa deve ficar apenas no debate de opiniões e propostas.

“Telefonei para o Nikolas – 2º vereador mais votado – parabenizando-o pela vitória. Disse a ele que somos de campos políticos diferentes e que nossas brigas serão entre ideias, e não entre pessoas. Ele disse que também pensa assim. Que a pluralidade de ideias resulte na melhoria de BH”, publicou a vereadora eleita. Duda já havia declarado ao EM que buscaria uma boa relação com os parlamentares do campo conservador na Câmara, trabalhando sempre pelo coletivo e não apenas para parte da população.

“Eu não estou preocupada com questões morais. Estou preocupada em gerar emprego, em melhorar o meio ambiente e melhorar a educação de Belo Horizonte. A moral é coisa da família. Cada família promove a formação moral. A Câmara Municipal tem o objetivo de promover o bem-estar social. Então, não me interessa o que esse rapaz pensa do ponto de vista moral. O que me interessa é o que ele pensa para gerar emprego para a cidade”, revelou.

Por outro lado, Nikolas sinalizou que seria “uma muralha contra esquerdistas” no Legislativo Municipal e se recusou a se referir a Duda como mulher. "Eu ainda irei chamá-la de 'ele'. Ele é homem. É isso o que está na certidão dele, independentemente do que ele acha que é", afirmou em entrevista ao Estado de Minas.

Tanto Duda Salabert, que foi eleita com 37.613 votos, quanto Nikolas Ferreira, que conquistou a confiança de 29.320 eleitores, quebraram recordes nas eleições deste ano. Os números de ambos superam com sobras os 20.157 votos recebidos por Elias Murad (PSDB), em 2004, até então, considerado o candidato mais bem votado da história da capital mineira.

*Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade