Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Eduardo Bolsonaro diz que enviou à PGR lista de parlamentares envolvidos em 'atos criminosos'

Douglas Garcia também participou da representação à PGR


postado em 02/06/2020 11:17 / atualizado em 02/06/2020 11:49

Eduardo Bolsonaro foi eleito deputado federal em 2018(foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Eduardo Bolsonaro foi eleito deputado federal em 2018 (foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse na manhã desta segunda-feira que enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) nomes de parlamentares envolvidos em um chamado "gabinete do ódio". Segundo o filho do presidente da República, os políticos que não foram nomeados cometem "atos criminosos, notoriamente arquitetados e financiados" e integrariam um real "gabinete de ódio".

"Atos criminosos, notoriamente arquitetados e financiados. Mesmo que não digam se tratar de um gabinete do ódio, vamos tomar todas as medidas possíveis para coibi-los. Ontem (segunda-feira), representei com Douglas Garcia na PGR os parlamentares envolvidos. Em breve mais novidades", tuitou Eduardo, nesta manhã.

Douglas Garcia (PSL-SP), deputado estadual citado por Eduardo Bolsonaro, é investigado por motivos semelhantes. Nessa segunda, o Ministério Público instaurou um inquérito civil que apura um outro "gabinete de ódio", mas no Legislativo paulista.

Garcia teria permitido que seu chefe de gabinete, Edson Pires Salomão, utilizasse o equipamento público da Casa para atacar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e adversário políticos, como a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP). Eduardo Bolsonaro também é investigado, mas em um inquérito do STF por ter participado de uma possível interferência na Polícia Federal (PF) com o pai.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade