Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Congresso adia votação de vetos a orçamento impositivo para esta quarta-feira

Para a próxima semana, os congressistas devem votar os três projetos encaminhados pelo governo nesta terça regulamentando o orçamento impositivo


postado em 03/03/2020 21:10 / atualizado em 03/03/2020 21:34

O presidente do Senado e do Congresso, Davi Alcolumbre, cedeu a apelo de senadores que pediram mais tempo para análise(foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
O presidente do Senado e do Congresso, Davi Alcolumbre, cedeu a apelo de senadores que pediram mais tempo para análise (foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
O Congresso Nacional adiou para esta quarta-feira, 4, a conclusão da análise dos vetos presidenciais ao projeto que obriga o governo do presidente Jair Bolsonaro a pagar todas as emendas parlamentares indicadas neste ano. Há acordo entre líderes para manutenção dos vetos.

Para a próxima semana, os congressistas devem votar os três projetos encaminhados pelo governo nesta terça regulamentando o orçamento impositivo e definindo as regras para liberação e bloqueio do pagamento das emendas.

Inicialmente, tanto os vetos quanto os projetos seriam votados nesta terça. O presidente do Senado e do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), cedeu a apelo de senadores que pediram mais tempo para análise das propostas. Os textos do Planalto, disse Alcolumbre, estavam previstos para serem encaminhados às 9 horas e chegaram ao Congresso às 17h05.

"Em uma hora não dá para analisar um texto encaminhado pelo Executivo sobre a regulamentação do orçamento impositivo", disse Alcolumbre durante a sessão. O presidente do Senado se reuniu inicialmente com senadores e depois levou o apelo de adiamento para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Há oito vetos na pauta do Congresso na sessão desta terça. Os parlamentares se posicionam sobre todos eles por cédula eletrônica e deverão registrar os votos ainda hoje. Os dispositivos relacionados ao orçamento impositivo, porém, irão passar por uma nova votação no painel do plenário, com registro nominal dos parlamentar a favor e contra.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade