Publicidade

Estado de Minas CEARá

Senador Cid Gomes é baleado


postado em 20/02/2020 04:00 / atualizado em 20/02/2020 08:16

Político foi alvejado ao tentar furar bloqueio com retroescavadeira (foto: ARQUIVO PESSOAL)
Político foi alvejado ao tentar furar bloqueio com retroescavadeira (foto: ARQUIVO PESSOAL)
O senador Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado, ontem, em meio a um protesto de policiais em Sobral, no Norte do Ceará. Após ser atingido, ele foi encaminhado a um hospital da região. Em vídeo gravados do momento da confusão, Cid Gomes pilota uma retroescavadeira e tenta derrubar um portão em um bloqueio feito por policiais em uma base militar. Informações iniciais eram de que o projétil que atingiu o senador seria de borracha. De acordo com a assessoria do parlamentar, ele foi alvo de arma de fogo e levou dois tiros.

O Hospital do Coração informou que o estado de saúde de Cid é estável e que não há risco de morte. O senador licenciado está em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sem previsão de alta. Um boletim médico divulgado ontem às 19h40, afirma que Cid está “lúcido e respirando sem auxílio de aparelhos” e tem “boa evolução clínica”.

Segundo a assessoria da instituição, as duas balas atingiram a clavícula: uma bala saiu e a outra bateu na clavícula e ficou alojada no pulmão (e foi removida do órgão pela equipe da Santa Casa de Sobral). Cid já foi submetido a uma tomografia na Santa Casa de Sobral, que, ainda de acordo com a assessoria do senador licenciado, não constatou danos graves em nenhum órgão vital. O ex-governador Ciro Gomes, irmão de Cid, disse em uma rede social que o senador licenciado "não corre risco de morte", foi atingido por "dois tiros de arma de fogo" e que os disparos "não atingiram órgãos vitais apesar de terem mirado seu peito esquerdo".

Cid Gomes organizou uma ofensiva contra os policiais que ameaçam greve. Os PMs chegaram a ordenar que comerciantes de Sobral fechassem suas lojas. Antes de tentar 'furar' o bloqueio, Cid fez um discurso com críticas às paralisações de parte da Polícia Militar do Ceará. “Eu vim aqui defender a paz e a tranquilidade do povo de Sobral. Ninguém será chantageado, ninguém deixará de trabalhar, de abrir suas portas e caminhar com tranquilidade em Sobral”, disse o senador.

“Uma coisa é se amotinarem em um local, outra são os próprios que deveriam defender a paz e a tranquilidade serem eles próprios os incitadores da violência. Eu tô aqui desarmado, e vou enfrentar quem armado estiver, sob o custo da minha vida. Mas ninguém vai fazer o que esses bandidos estão fazendo aqui em Sobral”, afirmou.
 


Publicidade