Publicidade

Estado de Minas MINAS

Servidores fazem pressão


postado em 19/11/2019 04:00

Às vésperas da votação do projeto que garantirá o pagamento do 13º salário, servidores da segurança pública fizeram protesto ontem na Cidade Administrativa. Segundo líderes do movimento que foram recebidos pelo secretário Otto Levy, o governo se comprometeu a enviar à Assembleia, até 30 de novembro, um projeto de lei prevendo as medidas para recompor o salário da tropa. O secretário de governo, Bilac Pinto, confirmou que há compromisso do governo de reconhecer as perdas inflacionárias dos profissionais da segurança por projeto de lei. O cronograma de pagamento, segundo ele, vai depender da melhoria da situação financeira do estado.

O grupo da segurança chegou com um carro de som e ocupou o vão do Palácio Tiradentes para reivindicar melhoria salarial. Em uma faixa, afirmam que a “tungada” do governo nos salários da segurança já supera os 30%, referindo-se às perdas salariais por falta de reajuste. “Fomos recebidos pelo secretário de planejamento e o governo pediu um praxo máximo até o dia 30 deste mês enviar o cronograma reconhecendo as perdas inflacionárias de até quase 43% e prevendo a recomposição, que será paga até o fim do governo de forma escalonada. Ele também nos garantiu que o abono fardamento do ano que vem será pago integral, sem parcelamentos”, afirmou o agente de segurança Jonny Charles Moreira Quadros, que participou do encontro representando o sistema socioeducativo. A informação também foi passada em live nas redes sociais pelo Coronel Mendonça.

De acordo com o agente Jonny Quadros, o governo reafirmou que fará o pagamento integral do 13º salário em 21 de dezembro, se a operação de venda de créditos do nióbio recebíveis pela Codemig for concretizada a tempo. Também se comprometeu a voltar a pagar os salários no quinto dia útil em janeiro. Caso a operação não saia a tempo, o governo pagaria o 13º salário em três vezes.O governo havia marcado uma reunião com a categoria para dar uma resposta final nesta segunda-feira, mas o encontro foi adiado para quinta-feira.

Segundo o agente que integrou o grupo de manifestantes recebido, o governo disse que não poderia anunciar um cronograma de perdas inflacionárias antes de quinta-feira. Em nota, a Superintendência de imprensa do governo de Minas não confirmou se o projeto será enviado até 30 de novembro. Informou apenas que "conforme acordado com representantes dos servidores da Segurança Pública, ontem, reunião do governo de Minas para tratar das reivindicações da categoria será realizada no dia 22/11".


Publicidade