Publicidade

Estado de Minas

Discursos de aproximação


postado em 14/11/2019 04:00 / atualizado em 14/11/2019 08:11

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo brasileiro “tem feito o dever de casa para tornar o Brasil mais atraente para negócios e investimentos”, ao referir-se à reforma da Previdência e à intenção de promover uma ampla reforma tributária para reduzir o custo das empresas. “O Brasil abriu o mercado para o mundo com medidas concretas” e, cada vez mais, “recupera a confiança do mundo”, disse na solenidade de encerramento do Fórum Empresarial dos Brics.

Bolsonaro disse que vê “um grande número de empresários interessados em diferentes investimentos intra-Brics’” e que as trocas somaram US$ 110 bilhões em 2018. Ampliar os negócios entre os países do bloco também foi a tônica do presidente da China, Xi Jinping. Referindo-se aos brasileiros como “amigos”, o líder chinês disse ser necessário “mobilizar mais recursos da comunidade empresarial e fazer mais negócios entre os Brics”, o que traz boas “repercussões econômicas e sociais”, disse.
 
Em meio a negociações comerciais com os Estados Unidos, Xi Jinping disse que o desenvolvimento da China é uma oportunidade para o mundo inteiro e afirmou que a decisão de abrir ainda mais o seu mercado continua. “Temos a mesma perspectiva de aumentar nosso crescimento no futuro. Queremos abrir ainda mais nossa economia, aumentar importações e exportações e criar ambiente de negócios mais favoráveis”, afirmou.
Vladimir Putin, que representa a Rússia, disse que os recursos tecnológicos do país estão à disposição dos parceiros. “Oferecemos cooperação no setor nuclear. Mas gostaríamos que os demais países dos Brics vissem nossos avanços em outras áreas, como informática e tecnologia”. No ano que vem, a Rússia assume presidência rotativa do grupo, que terá a primeira reunião em São Petesburgo.
 
Por sua vez, o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa disse que seu país está aberto a negócios e parcerias. “Cada oportunidade de colaborar é também de compartilhar conhecimento e fazer parcerias que empoderam nossos povos”, disse. O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, lembrou que, em 10 anos, os países do Brics tiraram milhões de pessoas da pobreza. “É uma ótima plataforma para discutirmos o futuro”. Ainda assim, Modi solicitou que o Fórum dos Brics fizesse um estudo sobre iniciativas que possam maximizar o que é definido pela cúpula.


Publicidade