Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Doria destaca ganhos de R$ 3,2 bi à SP com carnaval e comando de Covas na capital


postado em 03/03/2019 12:20

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), compareceu à segunda noite de desfile das escolas de samba do grupo especial, sábado (2), no sambódromo do Anhembi, e, ao lado do prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), destacou os ganhos provenientes do carnaval.

"Ganham todos. Ganha muito a capital de São Paulo, sob o comando de Bruno Covas", disse Doria em vídeo publicado há pouco em sua conta no Twitter. Segundo o governador, a geração de receita com visitantes à capital e outros municípios durante o carnaval supera R$ 3,2 bilhões.

Na publicação, Doria ainda ressalta que a taxa média de ocupação dos hotéis na capital é de 95%, pois "foliões de todo o Brasil escolheram São Paulo como destino neste carnaval", comentou no Twitter. No mesmo vídeo, Covas disse que estes resultados justificam a importância da participação do poder público na organização do evento.

Até o momento, Doria havia feito apenas uma postagem no microblog, ontem, em que aparecia no sambódromo ao lado de sua esposa, Beatriz Doria, e Covas. Junto à imagem, o governador fez um comentário sobre o desfile das escolas de samba e, apesar de estar ao lado do prefeito, não o citou no texto.

No camarote da Prefeitura, o governador atendeu jornalistas junto a Covas, comentou sobre a complementaridade entre os carnavais de São Paulo e Rio de Janeiro, o crescimento dos blocos de rua na capital e a privatização do Anhembi. "O modelo dessa privatização prevê tempo de uso para as escolas, não afetará os desfiles, e também haverá investimento grande para melhorar outras instalações, como o Palácio das Convenções e o Pavilhão de Exposições", afirmou. Ele lembrou que há um trabalho conjunto sendo feito, entre governador e prefeito, em áreas do Campo de Marte que são de posse da Prefeitura.

Questionado sobre a liberação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para comparecer ao velório do neto, em São Bernardo do Campo (SP), no sábado, Doria classificou como uma medida "justa". "Cumpriu-se aquilo que a lei prevê. É uma prerrogativa para qualquer presidiário e o ex-presidente Lula pode ter o cumprimento da lei", avaliou em coletiva.

O governador esteve no Anhembi apenas ao segundo dia dos desfiles e, de acordo com sua assessoria de imprensa, se ausentou no primeiro dia, sexta-feira (1), por questões de agenda. Na sexta, sozinho, Covas fez uma publicação no Twitter marcando sua presença no sambódromo e, em vídeo, foi possível identificar aplausos e vaias durante sua fala. Na conta do prefeito na rede social não foi feita nenhuma menção a Doria.

O prefeito e o governador de São Paulo foram alvo de rumores na última semana de que Doria daria apoio a uma eventual candidatura da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) para o cargo que hoje é ocupado por Covas, ao invés de apoiar seu antigo vice a uma eventual candidatura à reeleição.

Em entrevista ao Broadcast publicada na quarta-feira (27), Joice disse que é cedo para falar sobre as eleições de 2020, no entanto, ressaltou que "se eu for escalada, não fugiria da raia, mas isso não é um plano que está sendo desenhado". "Agora, voltou essa especulação, com o João Doria (PSDB) no meio da história. Eu fiz campanha para ele, todo mundo sabe. Mas é cedo para falar e o Doria não tem nada a ver com isso", acrescentou.


Publicidade