Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Baleia Rossi: MDB saberá votar o que é importante para a recuperação econômica


postado em 04/12/2018 17:39

Após reunião com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, o líder do MDB na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), deu o tom de como será a postura amigável do partido em relação ao novo governo, pelo menos em um primeiro momento.

"Fazer oposição por oposição pode ser ruim para o País. Vamos ajudar votando medidas importantes", afirmou. Segundo Baleia, embora a sigla seja oficialmente independente, o partido do presidente Michel Temer "saberá votar o que é importante para a recuperação econômica" do País e atuará com "responsabilidade". Durante o encontro, Bolsonaro não pediu apoio específico para a reforma da Previdência, de acordo com o líder do MDB. "Ele falou de maneira genérica, mas sabemos que pauta econômica é urgente", minimizou.

O MDB foi o primeiro a ter a bancada recebida por Bolsonaro, que buscou priorizar as bancadas temáticas num primeiro momento. Estiveram presentes no encontro de hoje todos os parlamentares da legenda - 9 deputados eleitos e 25 reeleitos. Ele disse, ainda, que o clima da conversa foi positivo, amistoso e que Bolsonaro foi gentil. "Ficamos felizes pelo MDB ter sido primeiro partido a ser recebido", comemorou.

Baleia também celebrou o fato de um emedebista, o deputado Osmar Terra, ter sido escolhido como ministro da Cidadania, mas alegou que não foi uma escolha política, e sim da bancada social. "Osmar Terra teve apoio da bancada do MDB, mas não foi indicação nossa." Baleia elogiou a postura de Bolsonaro ao dialogar com as bancadas temáticas, e não com partidos. "Ele agiu corretamente ao dialogar com as frentes parlamentares porque foi um compromisso de campanha", disse.

Caso contrário, considera que Bolsonaro iniciaria a transição já enfraquecido diante da sociedade. O deputado reeleito considera que a política passa por um novo momento e que é preciso se adaptar. "O MDB não reivindicou cargos e não indicou ninguém", frisou. Ele também negou que tenha sido discutida a sucessão da presidência da Câmara.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade