Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2018

Zema anuncia que vai 'cortar gordura enorme e economizar milhões'

Governador eleito listou cortes de secretarias, cargos comissionados e 'mordomias do governador'


postado em 29/10/2018 12:41 / atualizado em 29/10/2018 18:20

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

O governador eleito de Minas, Romeu Zema (Novo) disse nesta segunda-feira, em entrevista à TV Globo, que a primeira medida de seu governo, a partir do dia 1º de janeiro, data da posse dos eleitos em todo o país, será "cortar a gordura enorme" da máquina pública. "Economizaremos milhões por dia", disse Zema.

O futuro governador listou o corte de secretarias, das atuais 21 para apenas nove pastas. Segundo Zema, "por falta de transparência" do atual governo  não é possível fazer o cálculo exato da economia que essa medida vai gerar.

Além disso, disse que vai cortar 80% dos cargos comissionados com indicação política. Segundo ele, o restante será preenchido por técnicos.

Zema também anunciou o corte de despesas do que ele chamou de "mordomias para o governador". Reafirmou que não vai morar no  Palácio das Mangabeiras, residência oficial dos governadores de Minas Gerais, mas em um imóvel próximo ao local de trabalho, sem especificar, se perto do Palácio da Liberdade, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte , ou no Palácio Tiradentes, localizado na Cidade Administrativa, no Bairro Serra Verde.

 
Zema também disse que vai vender a "minifrota" aérea que serve ao governador do estado e que vai usar carro para se deslocar. De acordo com ele, só  com o corte das "mordomias para o governador",  serão economizados R$ 10 milhões por mês.

Salários  dos servidores


Zema reiterou que voltar a pagar os salários dos servidores até o quinto dia últil não será feito no curto prazo. "Não sou milagreiro, nem mágico", destacou, afirmando que a retomada do pagamento sem atraso  não levará menos de dois anos.

Até lá, Zema lembrou que nem ele nem os  futuros ocupantes dos cargos de primeiro escalão vão receber salários.

Gustavo Franco


O governador eleito também descartou o ex-presidente do Banco Central como futuro secretário da  Fazenda. Zema disse que ele será uma espécie de consultor do governo para área econômica. A ideia é Franco venha a Belo Horizonte  ao menos uma vez por semana para ajudar a compor o plano para recuperar as finanças do Estado.

De acordo com Zema, o economista já esteve em Brasília para se inteirar sobre a dívida do estado com a União. Segundo ele, o objetivo é renegociar o pagamento desse débito. 

Franco comandou o programa financeiro da campanha de João Amoêdo (Novo), quinto colocado na corrida presidencial com 2,6 milhões de votos.

Presidente do BC durante o governo de Fernando hnrique Cardoso (PSDB), Gustavo Franco foi um dos formuladores do Plano Real na gestão do presidente Itamar Franco. Ele defende ideias liberais, semelhantes às de Zema, e era ligado ao PSDB até ano passado, quando passou a apoiar o Novo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade