Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Haddad não telefona e não pretende conversar com Bolsonaro, dizem aliados


postado em 28/10/2018 21:21

Após a derrota no segundo turno da eleição presidencial, o candidato derrotado Fernando Haddad (PT) não telefonou e, de acordo com aliados, não pretende conversar com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

"Não tem conversa com quem não é civilizado", disse o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), um dos integrantes da coordenação da campanha petista. "Ele foi um candidato extremamente agressivo com o Haddad", justificou o deputado estadual eleito Emídio de Souza, outro coordenador da campanha.

Além disso, segundo aliados de Haddad, não há intenção de questionar a eleição de Bolsonaro na Justiça Eleitoral. Eles cobram, contudo, a investigação de supostas irregularidades na campanha de Bolsonaro, como as denúncias de pagamento de empresas para disseminação de mensagens nas redes sociais.

Haddad já deixou o Hotel Pestana, na zona sul de São Paulo, onde acompanhou a apuração dos votos e fez um discurso se colocando como oposição. Ele desceu do elevador e rompeu o cordão de apoiadores que o esperava no hall do Hotel.

O petista não falou com a imprensa e não fez discurso à militância. Antes de entrar no carro ele fez o gesto de "V" com os dedos. Haddad seguiu para a casa dele, também na zona sul de São Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade