Publicidade

Estado de Minas

Com mais de 350 mil votos ao Senado, mulher travesti quer disputar a prefeitura de BH em 2020

Filiada ao Psol, a professora Duda Salabert, de 37 anos, pretende lançar sua pré-candidatura às eleições municipais e se tornar prefeita da capital mineira


postado em 14/10/2018 08:55 / atualizado em 14/10/2018 09:12

Na primeira disputa po um cargo eletivo, a professora Duda Salabert obteve maior votação da história de seu partido, o Psol(foto: Facebook/Reprodução)
Na primeira disputa po um cargo eletivo, a professora Duda Salabert obteve maior votação da história de seu partido, o Psol (foto: Facebook/Reprodução)

Depois de conquistar 351.874 votos, a travesti Duda Salabert, que concorreu ao Senado, está animada com a resposta das urnas. Por causa do bom desempenho, a maior votação do Psol em Minas, a professora pretende se lançar candidata à prefeita de Belo Horizonte em 2020, sendo a primeira pessoa trans a concorrer ao cargo.

Ela foi a 12ª postulante mais votada entre os mais de 2 mil candidatos no estado em 2018, se considerados todos os cargos em disputa: presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual. Também foi a primeira candidata mulher travesti a concorrer a um cargo majoritário.

“Nesse cenário de avanço do conservadorismo, uma travesti conseguir essa votação, que é três vezes mais do que o deputado eleito Aécio Neves (PSDB), é um fenômeno”, afirma Duda. Ela ressalta que a campanha foi feita com somente R$ 15 mil.

Professora há 18 anos, Duda tem 37 anos e atua na rede privada de ensino como professora de literatura. Também é uma das idealizadoras da ONG Transvest, projeto artístico-pedagógico que trabalha para combater a transfobia e incluir travestis, transexuais e transgêneros na sociedade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade