Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Previ nega irregularidades citadas por Palocci em depoimento à PF


postado em 11/09/2018 13:41

A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, divulgou nota nesta terça-feira, 11, negando irregularidades relacionadas ao fundo e investigadas na Operação Greenfield, da Polícia Federal. A Previ diz ainda que caso sejam comprovadas ilegalidades, serão adotadas medidas para reparação de danos.

A afirmação é uma resposta a notícias publicadas na imprensa nacional relativas a depoimento de Antonio Palocci sobre vantagens ilícitas recebidas pelos presidentes dos fundos de pensão. Em depoimento à força-tarefa da Greenfield, Palocci teria citado nomes como Ricardo Flores e Sérgio Rosa.

A entidade afirma que seus investimentos encontram-se de acordo com a resolução CMN 4661, que dispõe sobre os recursos garantidores dos planos administrados pelas entidades fechadas de previdência complementar.

"A Previ não coaduna com atos ilegais. Caso fique comprovado que o nome da Previ foi utilizado para vantagens indevidas, serão adotadas todas as medidas para reparação de danos", diz em nota.

O fundo reforça ainda o compromisso com o aprimoramento do sistema de previdência complementar fechada e se coloca à disposição da Justiça e das instituições brasileiras para prestar todo e qualquer esclarecimento necessário, à luz dos preceitos constitucionais e legais.
"O modelo de governança da Previ é robusto e transparente, com Políticas de Investimentos criteriosas, desenvolvidas pela Diretoria de Planejamento, executadas pela Diretoria de Investimentos e aprovadas pela Diretoria Executiva e pelo Conselho Deliberativo", afirma.

Diz ainda que essa segregação de funções traz mais segurança no processo de gestão de investimentos e fortalece o modelo de governança da entidade, que é reconhecidamente um dos mais modernos do segmento de previdência complementar do País. "Isso se demonstra por meio das normas, processos e controles internos da Previ que, não raro, ultrapassam os requisitos da legislação e as exigências feitas pelo principal órgão supervisor do setor, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc)", afirma.

A Previ diz ainda que segue confiante na solvência e liquidez de seus planos e firme na sua missão de pagar benefícios aos seus mais de 200 mil associados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade