Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Pochmann: defendemos revogação de várias medidas tomadas pelo atual governo


postado em 08/08/2018 11:16

O assessor econômico da campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Márcio Pochmann, repetiu nesta quarta-feira, 8, que pretende revogar diversas medidas do atual governo. Segundo ele, o programa de governo do PT prevê a reorganização do pacto federativo brasileiro - reconectando os fundos públicos -, além da construção de um novo padrão de desenvolvimento no País.

"O Brasil está prisioneiro de uma armadilha recessiva. O nosso plano prevê a retomada das obras públicas e de um crédito mais barato e difundido. A base do programa é a retomada dos investimentos em infraestrutura, na retomada industrialização e no desenvolvimento tecnológico", afirmou, em debate promovido pela Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE).

Pochmann criticou as reformas levadas adiante pelo atual governo - como o Teto de Gastos e a Reforma Trabalhista - que, segundo ele, desestruturam a sociedade, que almejava a redução das desigualdades no País. "Defendemos a revogação de várias medidas tomadas pelo atual governo, através de ampla consulta popular. Também queremos realizar uma nova constituinte", completou.

Segundo ele, o atual plano de governo do PT é um é um dos mais ousados que o partido já conseguiu desenvolver. "Nas últimas eleições, os planos de governo estavam assentados na perspectiva de que vivíamos uma sociedade urbana industrial permeada de mudanças. Agora o programa se assenta em outra hipótese, em outro período histórico, a começar pela natureza do golpe de 2016, que mudou a ordem política e adotou um receituário neoliberal", completou.

O economista elencou que o plano também pretende aprofundar a democracia, criar um novo período de afirmação de direitos e possibilitar a transição para uma economia ecologicamente sustentável.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade