Publicidade

Estado de Minas 'É PRA PRESERVAR TUA INTEGRIDADE'

Sindicalista intimida repórter que tentou se aproximar de acampamento pró-Lula

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul disse que a intenção era proteger o profissional


postado em 29/04/2018 16:34 / atualizado em 29/04/2018 16:50


Um repórter da Rede Record foi impedido neste sábado de se aproximar do acampamento pró-Lula, em Curitiba, quando tentava gravar uma reportagem após o atentado a tiros sofrido por dois integrantes do movimento. O aviso de parada, que para muitos internautas soou como uma ameaça, partiu do presidente do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, Milton Simas Júnior. "É pra preservar tua integridade", disse o sindicalista, impedindo que o repórter seguisse em frente.

O vídeo foi compartilhado nas redes sociais e até o fechamento desta matéria tinha mais de 30 mil compartilhamentos. A gravação mostra o diálogo entre o repórter Marc Sousa, da RIC Paraná, afiliada do Grupo Record, e o sindicalista Milton Júnior:

Milton Júnior: Se vocês falarem mal do acampamento, então tu vai pro lado de onde tá o carro da polícia, tá. Eu sou jornalista, sou teu colega, tô te avisando, que é pra preservar a tua integridade. O povo tá vindo tudo aí, então...

Marc Sousa: Mas não pode gravar aqui?

Milton Júnior: Não seria recomendável, pra quem fala mal do movimento social. Ou tu fica lá do lado do carro da polícia. Tá? Eu tô te avisando pro teu bem.

Marc Sousa: Você não sabe nem o que eu tô falando.

Milton Júnior: Mas vocês falaram mal. Vocês são do SBT, não são?

Marc Sousa: Não, sou da RIC.

Milton Júnior: Da Ric Record. (Inaudível). Mas é isso, eu acho que a imprensa tá toda junta no golpe, tá? Record, Band, tarara, tudo isso aí. Eu sou do Rio Grande do Sul, tá? Sou presidente do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, tô avisando pro teu bem.


Em nota, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul disse que o vídeo mostra "perfeitamente a intenção do sindicalista de proteger o profissional, exatamente como deve agir quem representa uma categoria". O presidente afirmou que jamais teve a intenção de dificultar ou impedir o trabalho do profissional, mas garantir a integridade física dele. "Com o clima tenso, era impossível saber se o repórter poderia ser ou não agredido", explicou.

(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)


Ataque a tiros


Na madrugada do último sábado, duas pessoas ficaram feridas depois que uma pessoa disparou várias vezes contra o acampamento pró-Lula em Curitiba. Um homem de 39 anos foi baleado e uma mulher ficou ferida depois ser atingida por estilhaços. Na noite de sábado, foram divulgadas imagens de câmeras de segurança que mostram o suspeito fazendo os disparos. Ele ainda é procurado pela polícia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade