Publicidade

Estado de Minas

Coluna do Baptista Chagas de Almeida

Desculpa Temer arranjou, não vai precisar acordar cedo em São Paulo, pegar o avião presidencial para chegar a tempo em Brasília%u201D


postado em 01/04/2018 11:20 / atualizado em 01/04/2018 11:20


Terá ovos de Páscoa na posse de ministros?

Presidência da República – Agenda do presidente Michel Temer. Sábado, 31 de março de 2018. Sem compromissos oficiais. E não é porque iria passar o feriado de Páscoa em São Paulo, como sempre fez. Preferiu ficar em Brasília para tratar de sua defesa, diante de uma nova – a terceira – denúncia do Ministério Público Federal (MPF). No Congresso, fala-se já em novo pedido de impeachment contra o presidente.

O deputado mineiro Marcos Montes, vice-líder do PSD na Câmara, avisa que não será tão fácil salvar Temer de novo. Faz sentido a avaliação dele. Afinal, em ano eleitoral e com baixa popularidade, quem vai querer embarcar neste barco que já está à deriva?

 Resta saber se o presidente Temer ainda conseguirá barrar na Câmara dos Deputados o pedido de impeachment. O primeiro passo é do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que aceita ou não a denúncia. Candidato a presidente da República ou a governador do Rio de Janeiro será fiel ao Palácio do Planalto?

A outra questão é saber se dois terços dos deputados, com a Lava-Jato no meio do caminho, vão dar os votos necessários. Traduzindo, são 342 votos em plenário, dois terços de novo, para consumar o impeachment. Se isso acontecer, ainda tem o Senado, só que lá o número de votos é menor, basta maioria simples da Casa, 41 dos 81 senadores.

O melhor a fazer é voltar ao que interessa, a presença de Temer no domingo. Ele arranjou desculpa boa, não vai precisar acordar cedo em São Paulo, pegar o avião presidencial para chegar a tempo em Brasília. Para que fique claro, a sua agenda, só que, desta vez, a de amanhã, informa: “O presidente Michel Temer dará posse nesta segunda-feira (2), em cerimônia às 10h30 no Palácio do Planalto, aos novos ministros dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro Silveira, da Saúde, Gilberto Occhi, e ao novo presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Antônio de Souza”. Impeachment? Eu? Me deixe trabalhar, deve Temer dizer.

Enfim, o melhor mesmo a fazer é assistir à alegria das crianças com os ovos de Páscoa, a solidariedade dos anônimos que distribuem chocolates às mais carentes e deixar a política pra lá. Um dia que seja, se for possível.

 

O palanque
E é suprapartidária a lista: começou com o ex-deputado Zé Maia, mas o apoio veio dos deputados Gustavo Corrêa (DEM) (foto), Carlos Pimenta (PDT), Bonifácio Mourão (PSDB), Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), Sargento Rodrigues (PDT), Carlos Pimenta (PDT), Fabiano Tolentino (PPS), sem contar vereadores e prefeitos. O alvo: a Secretaria da Fazenda. E além de dinheiro para a segurança pública, eles cobraram o atraso nos repasses de recursos aos municípios. O palanque foi...

 

...montado

Para os prefeitos que pediam intervenção federal. Calma, é só na segurança pública. Ela foi defendida na Assembleia Legislativa (ALMG) diante de 40 prefeitos que a cobravam. O alvo: a Secretaria da Fazenda. Que fique claro: prefeito é sinônimo de cabo eleitoral em suas cidades.

 

Por fim
A semana será de fartas emoções e possíveis prisões, com o perdão da rima pobre. Só tem um jeito diante da tanta confusão. Esperar para ver o que vai acontecer.

 

Ligado nas eleições

 

“Vice ideal”
“Unidos pela boa causa, nós mineiros podemos e devemos dar ao país o exemplo de luta e determinação em favor da harmonia política e melhorar as condições de vida do povo. A história de lutas e conquistas nos credencia para esse desafio”. Pelo jeito, Josué Christiano Gomes da Silva pretende seguir os passos do pai, José Alencar, responsável por quebrar o estigma radical que levou Lula (PT) à Presidência da República, depois de várias tentativas. Acrescentou não “perseguir nenhuma candidatura”, mas ao ressaltar a defesa de “um legado econômico e social”, deixou clara a sua opção. Entre os petistas, não há a dúvida. É tratado como o “vice ideal” para Lula.

 

Inelegíveis...
... para ocupar cargos públicos. O deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT) ficou bravo no plenário da Assembleia Legislativa. E com razão, como disse seu colega Dalmo Ribeiro (PSDB). Alencar anunciou que seu partido vai ingressar no Ministério Público com pedido para derrubar o decreto do governador Fernando Pimentel (PT) acabando com a Lei da Ficha Limpa no estado. Pelo decreto, o governo fica liberado para contratar pessoas inelegíveis para ocupar cargos públicos. “Na hora em que o povo vai para as ruas pedir mudanças, ocorre esta aberração, esta falta de respeito. Será que o governador assinou o decreto sem ler? ”. Alencar espera uma resposta.

 

“Morô”? Morei!
“Prezado Baptista. Recorro ao trocadilho para homenagear o juiz Sergio Moro. A palavra morosidade deveria ser banida do dicionário: não há nenhuma associação com o competente magistrado. Morô?!!! Abs”. Gilson Fonseca. “Prezado Baptista, bom dia. Viu o vídeo anexo? Nele o famigerado Newton Cardoso vocifera contra Aécio Neves e sua irmã Andréa. Se não reagirem, teremos de admitir, como diz o velho ditado, que quem cala consente”. Kleber Pereira Gonçalves. “Atualmente Van Hattem participa do processo interno da sigla para a definição de candidatos para disputar as eleições deste ano, apostando na proposta de renovação do Partido Novo”. Abs, Sâmela Lauz.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade