Publicidade

Estado de Minas

Temer minimiza protestos e diz que reforma da Previdência e PEC 55 serão 'populares' no futuro

O presidente disse que a 'indispensabilidade' das propostas será percebida pouco a pouco


postado em 09/12/2016 14:30

(foto: Beto Barata/PR)
(foto: Beto Barata/PR)

O presidente Michel Temer (PMDB) minimizou nesta sexta-feira os protestos ocorridos por causa da tramitação da reforma da Previdência e da PEC 55, que impõe limite para gastos do governo com educação e saúde. Segundo ele, a população não está analisando o resultado das propostas a longa prazo, mas pensando apenas no presente e, por isso, as medidas se tornam “impopulares”.

“São, não são impopulares. São impopulares hoje, para serem populares amanhã, esta é a grande verdade. Alguém tem que ter a coragem de enfrentar o problema seríssimo que o Brasil está atravessando. Tanto que quando vocês dizem "medidas impopulares", podem ser impopulares hoje, mas serão populares amanhã”, afirmou em entrevista coletiva após inspeção e assinatura de atos na Barragem de Jucazinho, em Surubim (PE).

De acordo com o presidente, a importância dessas medidas - tanto a que altera as regras para a aposentadoria e impõe necessidade de mais tempo para ter acesso ao benefício, como a que estabelece limite de gastos para o governo -, será percebida apenas no futuro.

Temer disse ainda que espera contar com apoio dos movimentos sociais e do Congresso para conseguir levar a frente as duas propostas. “Não tenho a menor dúvida disso. Elas são, isto sim, indispensáveis e esta indispensabilidade vai se revelando pouco a pouco, especialmente com o apoio do Congresso Nacional e com o apoio que, certa e seguramente, nós teremos de vários setores sociais”, concluiu.

Em sua primeira visita a Pernambuco desde que assumiu o comando do País, o presidente Michel Temer (PMDB) anunciou, no final da manhã desta sexta-feira, 9, a liberação de R$ 53 milhões destinados a realização de obras hídricas no Agreste do Estado.

Deste total, R$ 12 milhões serão destinados à recuperação e modernização da Barragem Jucazinho, que apresenta problemas estruturais, que podem comprometer a segurança de sua operação. Outros R$ 33 milhões serão destinados para a construção de uma adutora emergencial que interligará o Sistema Siriji aos sistemas integrados Palmeirinha e Jucazinho. Os R$ 8 milhões restantes serão destinados a outras obras na região.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade