Publicidade

Estado de Minas

Veículo da Prefeitura de Bertópolis é flagrado em Porto Seguro

Prefeito diz que foi conhecer cidade onde Cabral celebrou a primeira missa


postado em 04/05/2012 06:00 / atualizado em 04/05/2012 07:33

Carro recém-comprado pelo Executivo estava em uma das mais badaladas praias da cidade baiana (foto: Anônimo)
Carro recém-comprado pelo Executivo estava em uma das mais badaladas praias da cidade baiana (foto: Anônimo)
O prefeito de Bertopólis, cidade de cerca de 5 mil habitantes no Vale do Mucuri, Lauro Alves Jardim (DEM), 44 anos, passou o feriado do Dia do Trabalho em Porto Seguro, na Bahia. Foi conhecer a cidade histórica onde foi celebrada a primeira missa no Brasil. Até aí tudo bem, já que Porto Seguro atrai turistas de todo o país, principalmente do Norte de Minas, pois a cidade baiana fica quase na divisa com o estado. O problema é que o prefeito, conhecido como Lozão, foi fazer turismo com o carro oficial do gabinete. E levou junto a família. O Palio Adventure comprado pela prefeitura este ano foi flagrado por um turista em Coroa Vermelha, uma das praias mais badaladas de Porto Seguro. A foto acabou parando nas redes sociais.

O prefeito disse que não estava passeando. “Fui visitar o arraial de Cabrália, e conhecer o lugar onde Pedro Alvares Cabral celebrou a primeira missa. Apesar de a minha cidade ser perto de Porto Seguro, eu nunca tinha ido lá”, comentou. Questionado se as despesas com a viagem, incluindo hospedagem e alimentação, foram custeadas pelo município, ele negou. “De jeito nenhum. Eu paguei tudo. Usei só o carro da prefeitura.” O prefeito disse que dormiu em Porto Seguro porque era puxado ir e voltar no mesmo dia – a cidade litorânea fica a cerca de 350 quilômetros de Bertopólis.

Lozão disse que foi convidado pelo prefeito de Porto Seguro, Gilberto Abade (PSB), para conhecer a cidade durante um evento em Itanhém, município baiano, que contou com a presença do governador Jaques Wagner (PT-BA). Segundo ele, Wagner foi inaugurar uma estrada que liga a Bahia a Minas Gerais. “Por isso eu também estava lá.”

Lozão conta que, além de conhecer a cidade, foi visitar uma aldeia de indios pataxós que vivem em Coroa Vermelha e que estão em litígio com um grupo de moradores por causa da posse de terras. “É que na minha cidade há uma aldeia maxacali e alguns índios estão querendo ir para Coroa Vermelha, por isso fui lá ver a situação.”

Denúncia

O prefeito disse que percebeu na hora que a placa do seu carro estava sendo fotografada por um turista. “Mas nem liguei. Sabe como é em ano de eleição… Sempre aparece alguém querendo fazer alguma denúncia”, comenta. Comprado recentemente, o carro oficial da prefeitura só tem uma multa para o motorista que dirigia falando ao telefone celular, aplicada no início de março, em Teófilo Otoni, também no Vale do Mucuri.

Lozão não sabe ainda se vai disputar a reeleição. “Estou discutindo com o meu partido para ver.” Ele foi empossado em junho de 2009, depois que o primeiro colocado nas eleições, Onédio Fagundes de Souza (PT), foi cassado pela Justiça Eleitoral por ter doado material de construção e outros bens e serviços em troca de votos.


Publicidade