Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Ponto de fuga


postado em 23/11/2018 05:05

Férias

O que eu não faria
para ser como a criança

que perde a pele mas
não percebe que se transforma

O que eu não daria
para ter férias da cabeça


segunda-feira

No finalzinho do
domingo
com chuva
o sol sempre
sai para nos lembrar
que a vida é linda
e injusta


sexta-feira


A cadeira azul
para obesos do metrô
na noite de sexta-feira
se transforma
em namoradeira
para casais magros


domingo seis da tarde

A hora em que toda a cidade emudece
ao ligar a tv
no mesmo canal

Domingo seis da tarde

A hora em que aquele amor secreto do tempo da escola
se aproxima do parapeito
do décimo andar

Domingo seis da tarde

A hora em que você dá um murro no espelho
e mesmo assim
não destrói a própria cara

Domingo seis da tarde

A hora em que meu nome e o seu
começam a desaparecer
da lista telefônica

Domingo seis da tarde

A hora em que esquecemos o endereço
de nossa casa
e ela deixa de existir


carrossel

Pense num carrossel
em como ele poderia competir
em sua lentidão
de brinquedo do passado
contra objetos velozes
deste novo mundo

Pense no domingo
em como as feiras
as luzes as coisas
coloridas que são vendidas
servem apenas para encobrir
aquilo que está lá embaixo
soterrado e incólume

As manhãs de domingo
As tardes de domingo
As noites de domingo

O domingo




* Nasceu em Cuiabá, em 1968, e mora em São Paulo. Estudou arquitetura na UFRJ e formou-se em desenho industrial (Unesp), mas desde o fim da década de 1990 se dedica à literatura, atuando também como editor e tradutor. Publicou os livros de poesia Eletroencefalodrama (Ciência do Acidente, SP, 1998) e Animal anônimo (Ciência do Acidente, 2002), além dos livros de ficção Não há nada lá (Ciência do Acidente, 2001), Curva de Rio Sujo (Planeta, 2004), Noite dentro da noite (Companhia das Letras, 2017, entre outros. Os poemas acima estarão no livro O sonâmbulo canta no topo do edifício em chamas (Editora Pedra Papel Tesoura, 2018)


Publicidade