Publicidade

Estado de Minas Finanças pessoais

Covid-19: 3 dicas para adiar o pagamento do cartão de crédito

Equilibrar as dívidas, nesse momento, é uma tarefa difícil mas especialmente necessária


Banco Bmg
Conteúdo patrocinado
Banco Bmg
postado em 16/04/2020 16:21 / atualizado em 16/04/2020 16:27

78,4% das famílias endividadas no Brasil possuem débitos com cartão de crédito(foto: iStock)
78,4% das famílias endividadas no Brasil possuem débitos com cartão de crédito (foto: iStock)
Diante do momento de incerteza que o mundo todo está vivendo, tanto em termos de saúde quanto de economia, diversas medidas estão sendo tomadas para evitar que a população sofra em larga escala. No Brasil, algumas ações e novidades de crédito para pessoas físicas foram adotadas, de forma a auxiliar a vivência durante este tempo. No entanto, ainda há muitos desafios, especialmente, relacionados ao pagamento das contas mensais.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em março, a quantidade de famílias endividadas no Brasil aumentou, chegando a 66,2%. Esse resultado é maior em comparação com o mesmo período de 2019 (62,4%), e também em relação a fevereiro deste ano, em que foi registrado um percentual de 65,1%.

Dentro deste universo, ainda há um agravante: a fatura do cartão de crédito. Um total de 78,4% das famílias endividadas possuem débitos nesta categoria, segundo a CNC, e não há soluções propostas para este tipo de dívida, cujos juros passam dos 320% ao ano. Então, como adiar o pagamento da fatura do cartão ou equilibrar essa dívida para não ficar em uma situação pior com o passar do tempo?

De acordo com a Febraban – Federação Brasileira de Bancos – mais de dois milhões de brasileiros já pediram a renegociação de dívidas neste período. Este é, sem dúvida, um dos caminhos para equilibrar a vida financeira, mas confira agora outras três dicas:

Compare taxas, datas e instituições

Parar para fazer a comparação de taxas em outras instituições financeiras é uma importante ação, que poderá resultar na escolha de um novo banco ou um novo cartão de crédito, sem tarifas ou anuidade. Mas, com a fatura do cartão aberta, e sabendo que não será possível pagar o valor total dentro do prazo, considere solicitar a alteração da data de pagamento. Um adiamento de 10 dias, por exemplo, pode ser suficiente para colocar as contas em ordem. 

Quite a fatura do cartão com empréstimo

Opções como cheque especial, parcelamento da fatura, empréstimo consignado e empréstimo pessoal são modalidades de crédito que contam com juros mais baixos do que o rotativo do cartão. Por isso, considerar quitar o valor total da fatura com uma das possibilidades de empréstimo pode ser uma opção com juros mais interessantes para o consumidor, livrando-o de uma dívida maior.  Novamente, a comparação de taxas e instituições é fundamental.

Controle os impulsos de compra

Com grande parte da população em casa, cumprindo regime de home office ou em férias, o número de vendas registradas no e-commerce está crescendo. Embora para a economia seja um movimento positivo, nem sempre pode ser bom para o bolso do consumidor. Portanto, mesmo que a compra online seja simplificada e o cartão de crédito esteja disponível, fugir de gastos desnecessários é o mais indicado. Outra saída interessante é priorizar a compra no débito. 

Por último, tome decisões com base em dados. É fundamental que todo consumidor faça um balanço das suas contas e veja quanto tem e terá de receita durante esse período conturbado. Somente com essas informações em mãos, será possível manter ou encontrar um equilíbrio na vida financeira, apesar das incertezas. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade