Publicidade

Estado de Minas Isolamento

Pandemia, religião e polêmica


17/04/2021 04:00




Jeovah Ferreira
Taquari – DF

"Dia desses, ouvi um pastor de uma determinada denominação religiosa dizendo: ‘Não abro mão da minha fé e do meu direito de estar no templo adorando o meu Deus’. Depois, ouvi o ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), André Mendonça, em julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a abertura de igrejas, afirmar que ‘os religiosos não estão matando pela sua fé, mas estão dispostos a morrer  por ela’. É lamentável que saiam da boca de semeadores da palavra de Deus absurdos desse tipo. Péssimos exemplos de cristãos. Estamos vivendo dias tenebrosos; no Brasil, mais de 350 mil brasileiros já tiveram sua vida ceifada pela COVID-19, e não é hora de ficar questionando decisões que só visam evitar o espalhamento do vírus. Talvez seja por esse tipo de comportamento de pregadores que um senhor, numa conversa comigo, disse: ‘Nós, evangélicos, não seremos atingidos por esse vírus’. Ah! Como tem morrido evangélicos! O que será que está por trás do interesse dos dois propagadores do evangelho? Será que a expressão ‘terrivelmente evangélico’ está servindo de mola propulsora?"

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade