UAI
Publicidade

Estado de Minas artigo

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável da agropecuária


04/12/2021 04:00



Marcelo Genelhu
Diretor de Mercado e saúde animal e veterinário da Anbiotec Brasil

Empregada para aumentar a produção de alimentos, a eficiência dos sistemas de produção e a qualidade dos produtos de origem animal, entre outros, considero a biotecnologia um instrumento que proporciona sustentabilidade, viabilidade econômica, menor impacto ambiental e, ainda, alimentos com preços mais saudáveis e acessíveis para a população.

No contexto geral, friso que a biotecnologia é fundamental para aumentar a produtividade e a adaptação de plantas e animais a fatores ambientais. Agregar os benefícios da biotecnologia na criação, produção e pesquisa de novos medicamentos para uso animal, como a produção de vacinas mais seguras e eficazes, bem como no melhoramento genético, contribuiu para rebanhos mais saudáveis.

Na agropecuária, a biotecnologia está presente no controle biológico pelo uso de insetos predadores e parasitoides, diminuindo assim o impacto de doenças e de pragas. E na natureza, faz a diferença na redução dos impactos ambientais oriundos da produção agropecuária, permitindo elevar a produtividade e como consequência a diminuir a necessidade de realização de desmatamentos. Por meio da biotecnologia, observo também que são possíveis a bioconversão de resíduos provenientes da agricultura, a produção de biocombustíveis a partir de organismos vivos ou de resíduos vegetais e a recuperação de áreas degradadas.

É bom reforçar que a saúde animal está intimamente ligada à saúde humana, principalmente quando falamos em alimentos de origem animal. Acredito no papel preponderante da biotecnologia nesse aspecto, pois permite o desenvolvimento de medicamentos, vacinas e insumos mais eficientes e menos nocivos utilizados na produção animal. Consequentemente, animais mais saudáveis refletem em alimentos de origem animal mais saudáveis, que por sua vez também se refletem em pessoas mais saudáveis. Vale salientar ainda que várias doenças animais classificadas como zoonoses, que podem afetar os humanos, são mitigadas com o emprego biotecnológico.

Segundo o artigo 2 da Convenção da Biodiversidade de 1992, da ONU, “biotecnologia significa qualquer aplicação tecnológica que utilize sistemas biológicos, organismos vivos, ou seus derivados, para fabricar ou modificar produtos ou processos para utilização específica”. Saliento que, no setor agropecuário, a biotecnologia tem se tornado um instrumento indispensável para o fortalecimento e aumento da competitividade do mercado. Afinal, é com ela que poderemos atender à demanda crescente por alimentos, sem perder o olhar de sustentabilidade.

Apesar dos avanços da área no país, sinto a urgente necessidade de maiores estímulos e investimentos. Precisamos parar de ver a biotecnologia como uma vilã e passar a vê-la como uma solução. O Brasil é um dos países mais ricos do mundo em diversidade e oportunidades no campo biotecnológico. Precisamos aproveitar esse potencial e as possíveis contribuições da biotecnologia com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade