UAI

Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Como descartar medicamentos vencidos

Quando colocado no lixo comum, o produto vai para aterros sanitários e pode contaminar o solo e a água


22/09/2021 04:00

Raíssa Ferreira Almeida
Farmacêutica da Drogarias Pacheco
 
Um hábito comum para inúmeras pessoas é ter uma “farmacinha” em casa para alívio imediato de sintomas leves, como alergias, dores de cabeça e resfriados. Comprimidos, pomadas, xaropes, colírios e sprays são os principais itens que compõem a reserva caseira de medicamentos. Contudo, é fundamental observar a data de validade dos medicamentos, pois, passado esse prazo, eles não só podem deixar de fazer ou diminuir o efeito esperado, como também podem causar problemas de saúde ou efeitos indesejados. Mas, você sabe como fazer o descarte correto desses itens? Será que despejar no lixo comum, na pia ou no vaso sanitário é a melhor maneira?
 
Antes de mencionar a forma certa, é preciso esclarecer que os efeitos causados pelo uso de medicamentos vencidos não são totalmente conhecidos. Os órgãos que regulamentam a produção e a comercialização de medicamentos não realizam estudos sobre as reações pós-vencimento. O que é feito, de forma exaustiva, são testes de eficácia dentro do prazo de validade. Por isso, a utilização de remédios vencidos pode ser prejudicial e, dependendo da doença, altamente danosa à saúde e à qualidade de vida do paciente.
 
Em relação ao descarte de medicamentos vencidos, não se deve jogá-los no lixo, na pia ou no vaso sanitário. Quando colocado no lixo comum, o produto vai para aterros sanitários e pode contaminar o solo e a água, devido a algumas substâncias tóxicas presentes nos remédios. Sem contar os riscos de quem manipula o lixo, como catadores e garis, que podem ter contato direto com as substâncias em decomposição, colocando a saúde em risco. Já na rede doméstica de esgoto, os sistemas de tratamento não conseguem eliminar os itens tóxicos, os quais podem contaminar a água e o solo, causando diversos riscos aos seres vivos, que vão desde quadros de intoxicação até o desenvolvimento de bactérias multirresistentes.
 
O ideal é que os produtos fora do prazo de validade sejam entregues em pontos de coletas nas farmácias e nas drogarias, cujo direcionamento será realizado de forma correta e sem possibilidades de danos às pessoas e ao meio ambiente. Para fazer o descarte, é indicado deixar os medicamentos em sua embalagem primária, ou seja, nas cartelas de comprimidos, cápsulas, tubos de pomadas e cremes ou frascos.
 
Ao receber remédios vencidos, o farmacêutico faz a sua armazenagem em uma lixeira exclusiva para esse fim. Itens que ainda estão dentro do prazo de validade, mas que não serão utilizados, também podem ser levados aos pontos de coleta. Essa iniciativa é chamada de logística reversa. O processo consiste no recolhimento do material por uma empresa parceira especializada e a incineração do material. Os resíduos gerados não representam mais riscos à saúde das pessoas e ao meio ambiente.
É fundamental o conhecimento e a conscientização sobre o descarte correto de medicamentos. Tão importante quanto cuidar da nossa saúde é cuidar do meio ambiente, evitando poluí-lo. Ao descartar uma substância potencialmente prejudicial de forma adequada, estamos fazendo o nosso papel e contribuindo para a preservação do nosso ecossistema.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade