Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

A importância da mineração na economia brasileira


03/08/2021 04:00

Tasso Mendonça
Diretor da Agência Nacional de Mineração
 
A atividade de extração de minérios está presente no Brasil desde a sua colonização, ela equilibra os índices de crescimento nacionais, levando o investimento e o desenvolvimento nos mais distantes rincões do país. O recorde de superávit na balança comercial brasileira é resultado da mineração. A alta dos preços dos minérios e os sucessivos recordes de produção nos últimos dois anos contribuíram para o aumento do valor das exportações.
 
O trabalho da mineração atrai muitos investidores e tem bom retorno financeiro. Esse potencial do setor já era visível desde o período do Brasil colonial. Os olhos de mercados estrangeiros sempre brilharam pelos solos brasileiros desde o século 17, quando várias expedições exploratórias vieram ao nosso território, interiorizando nossa população.
 
Além disso, a área movimenta outros serviços essenciais. A mineração é responsável por quase 5% do PIB nacional e oferece produtos para variados tipos de indústria como siderúrgicas, fertilizantes, petroquímicas e metalúrgicas, além de insumos diretamente ao agronegócio.
 
Além de atrair investimentos nacionais e estrangeiros, a mineração contribui para a geração de empregos diretos e indiretos, incluindo os setores abastecidos por ela. É justamente essa relação indireta com outras indústrias que torna a extração de minérios uma das principais fontes de geração de empregos. Desse modo a mineração é uma atividade estratégica para o Brasil, equiparada a outras também importantes como alimentação e energia.
 
O setor é responsável por um legado de desenvolvimento social e tecnológico, além da contribuição para arrecadação tributária e empregos. Como resultado, o IDH – Índice de Desenvolvimento Humano – das cidades mineradoras é, em média, mais elevado do que o de seus respectivos estados, mesmo quando estão localizadas longe de outros centros urbanos.
 
Em relação à geração de empregos, de acordo com dados do Ministério da Economia, Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, o setor extrativo mineral foi responsável por 180.385 empregos diretos em setembro de 2020. O setor ainda gera um efeito multiplicador de 3,6 postos de trabalho sobre esta base, o que leva a 649 mil empregos na cadeia produtiva ao incluirmos atividades à jusante como metalurgia, fertilizantes e cerâmicos. Quando considerados empregos diretos, indiretos e induzidos.
 
Mesmo assim, não é de hoje que a mineração enfrenta embates para sua manutenção. Dentre os principais problemas estão financiamento de projetos no Brasil, principalmente para as pequenas e médias mineradoras, segurança jurídica (meio ambiente mais regulação) e inovação tecnológica. Os projetos de mineração, muitas vezes por falta de segurança jurídica, incertezas no licenciamento, além da credibilidade em certificação e “compliance”, não conseguem financiamento ou investimentos.
 
A atratividade do Brasil para investimentos em mineração recuou sucessivamente até 2018, ficando na 65ª posição, logo atrás da Colômbia, entre 91 países.
 
Já a boa notícia é que os investimentos no setor de mineração no Brasil devem voltar a subir depois de três ciclos quinquenais em queda na sua média, indica levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram). No período de 2021-2025, o aporte de mineradoras no país deve ser de, pelo menos, US$ 38,5 bilhões, valor esse que ainda pode aumentar, uma vez que, nesse estudo, não está considerado o investimento por parte de várias mineradoras estrangeiras que não foram contabilizadas nessas estimativas.
 
Hoje, a atividade mineradora lidera investimentos e puxa outros setores, turbinada pelo câmbio favorável e pela alta da demanda por commodities nos países que se recuperam do baque da COVID-19, sobretudo a China. A mineração, acompanhada do agronegócio, aumenta seu peso no Produto Interno Bruto (PIB). As evidências aparecem na forte alta das exportações, no pagamento de impostos, nos balanços financeiros das companhias do setor e na atração de investimentos. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade