Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Balanço do ensino na pandemia

A experiência educacional provocada pela pandemia promete modificar os processos nas escolas


postado em 23/05/2020 04:00

Ângela Mathylde
 Psicopedagoga e neurocientista
 
A pandemia provocou intensa mudança social e no cotidiano da população, com impactos mundiais. Enquanto alguns serviços foram completamente paralisados pelo isolamento social, outros encontraram formas para continuar, como é o caso do ensino. O fechamento das escolas estimulou uma reinvenção da sala de aula com o ensino a distância, adotado por grande parte das instituições. Conforme dados da Unesco, até 25 de março, 165 países fecharam as escolas, interrompendo as aulas presenciais de 1,5 bilhão de estudantes. Trata-se de uma situação inesperada, com alunos, professores e pais ainda em processo de adaptação. Até o momento, quais são os aspectos positivos e negativos do ensino em tempos de pandemia?
 
 Primeiro, é preciso considerar que o momento é desafiador para todos os envolvidos. Os professores, que nunca tiveram experiência ou qualificação para atuar com educação a distância, tiveram que aprender a montar aulas on-line, usar ferramentas tecnológicas e remanejar o planejamento do ano letivo. Os alunos lidam com a adaptação do aprendizado em um novo ambiente, com as distrações e as próprias dificuldades em relação ao conteúdo. Os pais devem ajudar os filhos e ainda proporcionar um ambiente adequado ao estudo. 
 
As desvantagens das aulas on-line decorrem de diversos aspectos, sendo preciso destacar a desigualdade de estruturas: enquanto alguns contam com computadores de última geração, outros nem sequer possuem internet. Também é difícil manter a concentração com a casa cheia e com diversos estímulos, pais em home office, irmãos em casa e barulhos da vizinhança. Há, ainda, a saudade da escola, dos amigos e professores, desestimulando o estudante.
 
 A rotina dos professores tem sido bem mais atarefada que o comum. Como o regime de educação a distância foi adotado às pressas, poucas escolas repassaram orientações prévias ao corpo docente ou elaboraram um plano estratégico para esse período. O preparo das aulas em um novo formato exige mais tempo. 
 
 Por outro lado, aspectos positivos também podem ser apontados. A educação a distância possibilita maior flexibilidade ao tempo de estudo, permitindo um ritmo mais confortável à mente. O estudante ganha mais independência, aprimorando a capacidade de se organizar, resolver exercícios e pesquisar por conta própria. O aluno consegue entender, sozinho, quais são os desafios pessoais e aprender a respeitar o ritmo de estudo. Os professores também se beneficiam desse modelo de ensino com uma variedade maior de conteúdo no ambiente on-line. A familiarização com a tecnologia também gera uma aproximação maior com as turmas que estão acostumadas aos ambientes digitais. 
 
A experiência educacional provocada pela pandemia é marcada por desafios, mas promete modificar, profundamente, os processos nas escolas, com a educação a distância se tornando cada vez mais presente. Tanto professores quanto alunos seguem aprendendo e ainda se adaptando a essa nova realidade, somada às diversas mudanças mundiais.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade