Publicidade

Estado de Minas

A força do cooperativismo

Em Minas, 24,8% da população está envolvida com o cooperativismo


postado em 24/08/2019 04:00






Ronaldo Scucato
Presidente do Sistema Ocemg


A economia brasileira não está em sua melhor fase. Especialistas apontam que o país deve registrar crescimento pouco superior a 1% este ano. A previsão de crescimento para o nosso estado não é muito diferente e deve chegar a 1,2%. Contrariando essa tendência, o cooperativismo mineiro segue em curva ascendente, registrando alta em sua movimentação financeira pelo quinto ano consecutivo e as cooperativas seguem avançando em seus diversos ramos de atuação.
Um exemplo da força do cooperativismo para o desenvolvimento sustentável de Minas Gerais é a participação do segmento no Produto Interno Bruto (PIB), que corresponde a 9%. A movimentação econômica das cooperativas mineiras também é de grande relevância, chegando a um total de R$ 53,6 bilhões em 2018, crescimento de 14,9% em comparação com o ano anterior.

Em Minas, 24,8% da população está envolvida com o cooperativismo. Somos 771 cooperativas em diferentes ramos da economia, contemplando mais de 1,7 milhão de cooperados e 43,4 mil empregados diretos, um incremento de 9,8% na geração de postos de emprego em relação a 2017. No ano passado, o setor registrou, também,  aumento de aproximadamente 10% no número de cooperados em Minas, o que quer dizer que 155 mil novos membros passaram a fazer negócios por meio de cooperativas.

Os três ramos do cooperativismo responsáveis pela maior parte da movimentação de renda em Minas Gerais foram agropecuário, crédito e saúde. Juntos, eles representam 96,7% dos R$ 53,6 bilhões que o segmento gerou ao longo do ano. E as cooperativas que mais geraram postos de trabalho foram as do ramo da saúde, com 1.638 novos empregados, e do crédito, com 1.489 contratados.

Todos esses dados, que confirmam a pujança do segmento no estado, integram a 14ª edição do Anuário de Informações Econômicas e Sociais do Cooperativismo Mineiro, publicação editada pelo Sistema Ocemg que faz uma radiografia do setor em Minas, além trazer um ranking com as maiores cooperativas mineiras.

Nosso intuito, como organização que atua para que as cooperativas continuem exercendo seu papel fundamental para a economia do estado, é que o anuário seja mineiro. Afinal, a partir da análise dos dados do setor é possível que as cooperativas tracem diretrizes e melhorem, ainda mais, seus resultados nos próximos anos.

Para o público que se interessa pelo setor, entidades parceiras, acadêmicos e estudiosos sobre o cooperativismo, o anuário é, também, a principal fonte de informações sobre o segmento em Minas.

E foi pensando em facilitar o acesso desse público aos dados do setor que lançamos o aplicativo para celular denominado "Cooperativismo em Minas", que pode ser baixado de maneira gratuita em todos os sistemas operacionais.

Este ano, a ferramenta traz, ainda, o catálogo virtual de produtos e serviços de cooperativas, com o objetivo de possibilitar que os usuários tenham acesso às informações sobre como entrar em contato com as cooperativas de maneira permanente no meio digital.

E assim seguimos, regidos pela cooperação e trabalhando juntos para criar, em Minas e no Brasil, o ambiente que queremos para o futuro, de desenvolvimento, geração de empregos e oportunidades, sempre levando em conta o lado humano do negócio e a sustentabilidade.




Publicidade