Publicidade

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 28/07/2019 04:18

Cartas à redação

EMBAIXADA 
Tradição diplomática
merece respeito

Glauco Naves Corrêa
Belo Horizonte

"Toda opinião divergente da nossa, desde que alicerçada em grau de razoável credibilidade, deve  ser respeitada. Assim, aberto à diversidade, respeito a opinião do colunista Márcio Coimbra apoiando a indicação do filho do presidente ao mais importante cargo da diplomacia brasileira, em texto publicado em veículo de comunicação em 15 do corrente mês, sob o título 'Eduardo Bolsonaro embaixador'. Divirjo,  porém, em gênero, número e grau. De início, resta evidente  que Eduardo Bolsonaro não detém as qualificações mínimas exigidas para ocupar cargo de natureza tão complexa. Exige muito mais do que dominar dois  idiomas, e ainda, relegando a imagem sóbria da ainda  respeitada diplomacia brasileira, se alinha fervorosa e incondicionalmente ao governo Donald Trump. Como se sabe, o diplomata de carreira, até atingir o nível máximo, passa por uma sequência ordenada de etapas, longa e complexa, mas necessária à aquisição de experiência,  higidez intelectual e prática, imprescindíveis à enorme responsabilidade do cargo. Por outro lado, existe a questão, sempre em evidência no Brasil, da proteção excessiva que determinados políticos dão a seus parentes e familiares. É de conhecimento geral que acreditar representantes diplomáticos está entre as atribuições do presidente da República, prevista na CF/1988; porém, salta aos olhos que referida  indicação denota tão somente um só viés e uma única  direção. Eduardo é o escolhido por ser filho do presidente. De uma só tacada, três princípios de extrema relevância para a administração pública são ignorados e 
maculados. Impessoalidade, finalidade e imparcialidade."

FGTS
Cidadão elucida sobre
multa com demissão 

Claudio Juchem
São Paulo

"Se o governo realmente quer aliviar o custo  da mão de obra, a primeira coisa que deveria fazer seria acabar com a multa adicional de 10 % sobre o FGTS, no caso de demissão sem justa causa. A multa foi instituída em 2001, com o pretexto de repor as perdas do FGTS com os planos econômicos. Tal conta foi zerada em 2007, porém, o adicional  foi mantido sob o mote de financiar o programa Minha casa, minha vida. A revogação dessa multa independerá  de aprovação pelo Congresso."

FAVORECIMENTO
Lula e o gás 
da Bolívia                 

Humberto Schuwartz Soares
Vila Velha – ES

"O valor do gás é, no planeta, um dos mais caros ao  consumidor brasileiro devido a Lula  lá atrás, em 14/2/2007. Para favorecer Evo Morales, seu amigo e presidente da Bolívia, elevou de US$ 1,09 por milhão de BTU, medida térmica britânica, para US$ 4,20, reajuste de 285%, com a intermediação de Celso Amorim, então ministro das Relações Exteriores, por considerar injusto e desatualizado o valor de US$ 1,09. Mesmo assim, tem gente que considera Lula o pai dos pobres."

SELVAGERIA
Torcedora do Inter
tenta justificar agressão 

Marieta Barugo
São Paulo

"Agora, a torcedora do Inter, que  covardemente agride mãe e filho por causa de uma camisa de time de futebol, diz  que foi lá para protegê-la. Vejam do que o dito ser humano é capaz. Que índole tem uma 'crápula' dessas? As imagens são mais claras do que a água e mostram, claramente, que ela foi para agredir a mãe e, por tabela, o filho. Essa mulher deveria ser expulsa de sócia do  Inter para o resto da vida. Se no Brasil não dermos exemplos duros na canalhice das pessoas, isso vai se repetir e vamos continuar assistindo a cenas de selvageria."


Publicidade