Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

A luta contra o câncer

Atualmente, mais de 32 milhões de pessoas têm câncer no mundo todo


postado em 18/04/2019 05:05

 

 







Indesejado por todos e temido por muitos, o câncer é uma das doenças que mais causam pânico quando diagnosticadas e isso tem um motivo. Apesar de a evolução da medicina permitir uma sobrevida significativa em pacientes com a doença em todo o mundo, as neoplasias continuam sendo uma das principais causas de morte no planeta: a cada ano, 8,2 milhões de pessoas morrem devido à doença, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Com a finalidade de mobilizar a população quanto aos aspectos educativos e sociais para o controle do câncer, foi instituído no mês de abril o Dia Mundial de Luta Contra o Câncer.

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 patologias que têm, em comum, o crescimento maligno de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se para outras regiões do corpo. Entre os casos mais registrados de câncer estão: próstata, mama, cólon e reto, pulmão, estômago, colo do útero, cavidade oral, esôfago, sistema nervoso central, leucemias, bexiga, laringe, glândula tireoide, útero, ovário, não-Hodgkin e pele.

Atualmente, mais de 32 milhões de pessoas têm câncer no mundo todo, e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de novos casos de neoplasias continuará aumentando, apesar do enorme investimento no combate à doença. Estimativas da Agência para a Pesquisa do Câncer, entidade ligada à OMS, apontam que as incidências vão atingir 29,4 milhões de novos casos em 2040 e a mortalidade subirá de 9,6 milhões de pessoas, hoje, para 16,3 milhões em 2040. Ainda de acordo com o levantamento, o Brasil somará 559 mil novos casos de câncer, com 243 mil mortes registradas em 2018.

No entanto, relatório do World Cancer Research Fund, levando em conta vários fatores, afirma que o câncer é, em muitos casos, uma doença evitável. Câncer como o de cólon é relacionado aos alimentos industrializados e à má nutrição, por exemplo. Há fortes evidências de que o excesso de peso aumenta o risco dos tipos de câncer de intestino, esôfago, pâncreas, rim, útero, mama, ovário, vesícula, próstata e fígado. A estimativa indica que o câncer é 30% a 40% evitável por meio de uma alimentação e nutrição adequadas, de atividades físicas regulares, da prevenção da obesidade e do não tabagismo. Em nível mundial, a projeção disso representa que, a cada ano, cerca de 3 milhões a 4 milhões de casos poderiam ser evitados.

Não tem segredo. Para diminuir as chances do câncer é preciso manter uma alimentação saudável, não fumar, evitar ou limitar a ingestão de bebidas alcoólicas e manter-se fisicamente ativo por pelo menos 30 minutos todos os dias. Além disso, os homens entre 50 e 70 anos precisam investigar o câncer de próstata nas consultas médicas, principalmente se houver histórico familiar da doença. As mulheres, por sua vez, devem realizar exame preventivo ginecológico. A mamografia é recomendada uma vez por ano para aquelas com mais de 45 anos, mesmo que não percebam nenhum sintoma. Além de ter mais chances de não começar um câncer, certamente essas atitudes vão proporcionar uma melhora significativa na qualidade de vida e bem-estar da população.



Publicidade