Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 07/04/2019 05:07

BATE-BOCA
Brasília pega fogo e ainda há esperança

Gege Angelini
Belo Horizonte

“Se o clima no Galo está ruim, mesmo após a virada de placar sobre o modesto Zamora, da falida Venezuela, imagino como deverá¡ estar em Brasília. Ao ver o bate-boca imoral promovido pelos esquerdopatas, com aval de alguns oposicionistas infantis, chego à conclusão de que o presidente vai agir com mais rigor a partir de agora. Urge isso. Afinal, Bolsonaro foi eleito com enorme margem de diferença de votos, tem o apoio popular e dos empresários. É respeitado pelas grandes potências, que lhe acenam garantindo compromissos de um futuro melhor. Governo forte precisa ser proativo, dinâmico, centrado nas questões mais imediatas e se afastar de más lí­nguas ou mentes cinzentas que lhe acenam como pseudoassessores. Doa a quem doer, não precisamos de ideólogos tontos e sem crédito algum. Presidente, o país está contigo. Força.”

MINEIRÃO
Gestão pública de interesses


Andreia Donadon Leal
Belo Horizonte

“Enquanto isso, na Primaz de Minas, estamos vivendo a iminência de uma tragédia socioeconômica. Tragédia anunciada pelo gestor, com série de medidas que interrompem políticas públicas, sem as quais a sociedade padece. Suspender exames diagnósticos? Escala reduzida na atenção primária e urgência? Suspensão de vale-transporte para fisioterapia e saúde mental? Suspensão de contrato dos hospitais Monsenhor Horta e Santa Casa de Ouro Preto? Calamidade social. Aquela que tem como foco a sociedade mais carente. Bons gestores não esperam o caldo entornar. Bons gestores não falam que não precisam da empresa, para depois voltarem atrás em seus discursos de vaivéns de políticos. Bons gestores não levantam a mão sobre o povo. A população não tem culpa de sua incompetência administrativa. Jogar a culpa nos outros é fácil. Ao apontar um dedo, outros atrás estão voltados para Sua Excelência. Entre as causas de calamidade social, destacam-se os maus governos, o desmonte de políticas públicas, a falta de emprego. Vamos viver uma desgradação social. O que o senhor gestor fez nesses três anos? Cruzou os braços? É de conhecimento geral que a situação financeira de cidades mineiras é caótica. Mas cruzar os braços esperando sentado a Vale solucionar a crise não é atitude madura de um governante, que teve apoio inconteste da maioria de população. Covardia. O excelentíssimo gestor não está isento de responsabilidades, pois o senhor é o prefeito. Tão escabrosa quanto a repressão de uma ditadura é a insistência do poder público local em condenar a cidade à dependência das atividades mineradoras. Os discursos de diversificação econômica viraram pó, poeira, vento? Eles não se tornaram pauta legislativa, nem proposta de projetos de incentivo ao incremento a novas alternativas reais de produção e renda no município. O ramo têxtil sumiu? E a maior produtora de ovos de codorna do planeta? O Japão vai investir em Mariana? Ele é o maior produtor de ovos de codorna do mundo? Que venha o Japão com sua vasta cultura. Depois de uma semana, o prefeito retorna a ficar contente. Decreto de calamidade revogado. O aporte financeiro da empresa continuará. O garoto sabe chorar, nem que pra isso tenha que colocar a população em pânico. Os serviços paralisados voltaram. Milagre. Estou satisfeitíssima com a notícia alvissareira. O povo não merece sofrer. Terei fé. Abril é mês da mentira, mas o vaivém é verdade, até que se resolva mudar de rota. Afinal, vaivéns viraram rotina no governo federal e municipal.”

EM.Com

‘’Não fomos acusados de nada do que os outros foram acusados’’, diz  Bolsonaro
“A gente paga um preço por estarmos todos aprendendo. Para dirigir uma nação,  não se pode ser amador. Estão em jogo vidas. Cerca de trinta anos como político e ainda não foi capaz de se  profissionalizar para assumir um cargo ímpar no Estado Brasileiro?”
João Antônio Corrêa Filho

“Os  ‘outros’ são inimigos. Os ‘outros’ não prestam. Só ‘nós’ que somos honestos.”
Edilson Mendes Guimarães

“O maior  problema do Brasil não é a corrupção, é que a divisão entre coxinhas e mortadelas cegou as pessoas.  Os maiores problemas são a incompetência e a  burocracia, só existe corrupção porque existem  em excesso esses dois fatores.”
Vinicius Larangeira

‘Grande confusão’ e ‘improvisado’: ex-candidatos criticam governo Bolsonaro nos EUA
“Ficaria  preocupado se falassem bem do governo...”
Alessandro Gomes

“Três indignos representantes do mecanismo de empobrecimento do país. Um país cheio de vícios e erros, provocados pelos imensos equívocos estratégicos na economia e na política externa e interna ao longo da história e desde Getúlio Vargas. Vomitam seus pensamentos retrógrados e ultrapassadíssimos  e usam ainda da velha e idiota máxima ‘rebaixando meu inimigo me torno superior’.”
Alex Santos

’’Não  fomos acusados de nada do que os outros foram acusados’’, diz  Bolsonaro
“Mas não tem nem seis meses de  governo...”
Daniella Jardim
 
“Quando esses do contra vão perceber que o Brasil está mudando?”
Maria Luiza Rigotto

‘Grande confusão’ e ‘improvisado’: ex-candidatos criticam governo  Bolsonaro nos EUA
“Nunca pensei que concordaria com todos eles.”
Mauro Valle

“Quem quer opinião de perdedores?”
Regina Queiroz

“Três candidatos que não foram  eleitos. Já podem pedir música no Fantástico.”
Cíntia Oliveira

 

 


Publicidade